Pouco antes das 10h do dia 23 de dezembro (sábado) de 2017, o Atlético anunciava no Twitter que havia acertado a rescisão amigável Fred na noite do dia anterior (22), sendo que as conversas para quebrar o contrato que iria até dezembro de 2018 já havia inicado, pelo menos, desde 18 de dezembro. Ao desejar "sucesso na sua vida profissional", o Galo dava pista de que não sabia que o destino do camisa 9 seria justo o rival Cruzeiro.
Ou, no fundo, torcia para isso. Afinal, na cláusula de rescisão, ficou estabelecido a multa de R$ 10 milhões caso Fred assinasse com a Raposa. Transferência esta que já estava prevista e decidida até mesmo antes do tweet do Galo. No mesmo dia 22 de dezembro, Fred e Cruzeiro estabeleceram um "Contrato de Penho de Créditos". O conteúdo deste acordo foi revelado pelo Jornal O Tempo, e publicado aqui na íntegra - trata-se de cinco páginas retiradas de um outro contrato, já que o "Penhor de Créditos" se inicia na página 10 (veja abaixo).
Fred, Cruzeiro e a empresa que o jogador criou para receber os direitos de imagem (Seven Sports, empresa com sede em Rio Acima-MG) firmaram o contrato de penhor de créditos no dia 22/12 e o certificaram no dia 28 de dezembro no 2º Ofício de Registro de Títulos e Documentos de BH.
No último balanço patrimonial divulgado (2016), o Cruzeiro arrecadou R$ 130,9 milhões em "Publicidade e Transmissões de TV". São R$ 60 milhões de cota de TV só para o Campeonato Brasileiro, mas quase 3x menos que Corinthians e Flamengo (R$ 170 milhões)

A matéria continua após a publicidade