AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Motorista negou ter epilepsia ou qualquer doença neurológica, diz Detran

19/01/2018

Anaquim negou o transtorno durante o exame de avaliação médica realizado para a aquisição da habilitação. Portadores da doença podem tirar carteira, mas passam por uma avaliação neurológica e validade do exame médico é menor

Agência o Dia

Antônio tem 41 anos - Reprodução Facebook

Rio - O motorista Antonio de Almeida Anaquim, responsável pelo atropelamento que deixou 15 feridos e matou a bebê Maria Louise, de oito meses, negou ao Detran do Rio que tivesse epilepsia ou qualquer doença neurológica, de acordo com o órgão.
De acordo com o departamento de trânsito, Anaquim negou o transtorno durante o exame de avaliação médica realizado para a aquisição da habilitação. Não existe impedimento para tirar carteira de motorista para portadores de epilepsia, mas quem faz o processo deve passar por uma avaliação neurológica.
Quando é apto para dirigir, o exame médico fica com validade menor de acordo com avaliação médica, e com autorização para dirigir somente carros (categoria B).
Atropelador estava com carteira de habilitação suspensa desde 2014
Antonio de Almeida Anaquim, o homem que atropelou 16 pessoas, matando a bebê Maria Louise, de oito meses, na orla de Copacabana, na noite desta quinta-feira, estava como a carteira de habilitação suspensa desde maio de 2014, de acordo com o Detran. Nos últimos cinco anos, ele somou 14 multas e 62 pontos de infrações na carteira. Apenas após a tragédia, no qual o motorista alega ter tido epilepsia e ter perdido o controle do veículo, ele terá a habilitação cassada. Ele vai responder em liberdade por homicídio culposo.
De acordo com o departamento de trânsito, Anaquim, desde a suspensão em 2014, não cumpriu com a exigência de devolução da CNH para realização de curso de reciclagem. Ele chegou a recorrer, mas não conseguir reverter a decisão do Detran.

A matéria continua após a publicidade



"Por cometer um crime de trânsito ao dirigir com a carteira suspensa, o cidadão terá sua documentação cassada, como determina a legislação federal de trânsito. Neste caso, o Detran esclarece que cumpriu com todo o trâmite do Código Brasileiro de Trânsito. O Detran-RJ, assim como toda a sociedade carioca, se solidariza com as vítimas deste acidente", disse em nota.
Antonio Anaquim estava desde a noite do crime na 12ª DP (Copacabana) e deixou o local apenas para ir ao Instituto Médico Legal (IML), às 23h, para realizar o exame de alcoolemia, retornado às 2h desta sexta-feira. O resultado do procedimento deu negativo para uso de álcool. Ele deve deixar a delegacia ainda nesta manhã, já que responderá em liberdade por homicídio culposo.

 

Motorista negou ter epilepsia ou qualquer doença neurológica, diz Detran Reviewed by DestakNews Brasil on 13:28 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.