O surto de febre amarela que atinge várias cidades do Estado reduziu drasticamente o movimento em hotéis e pousadas nas regiões até agora mais afetadas pela doença em plenas férias. Tradicionais redutos de descanso e lazer em Minas, os municípios de Nova Lima, Mariana e Brumadinho sofrem diretamente os efeitos da expansão da enfermidade. 
Enquanto alguns estabelecimentos dessas cidades registram apenas 20% de ocupação, outros tiveram até 100% de cancelamento das reservas após o aumento no número de casos, de dezembro do ano passado pra cá.
Conforme o Hoje em Dia mostrou na edição de ontem, as confirmações da doença subiram de 22 para 47 em uma semana e a maioria das notificações é na Grande BH e região Central. 
Em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram registrados, até o momento, três casos de febre amarela, com uma morte. Segundo a gerente de uma pousada em Casa Branca, distrito do município, que pediu para não ter o nome divulgado, a procura pelas reservas teve uma queda vertiginosa a partir do início de janeiro, quando o volume de ocorrência da doença assustou. 

A matéria continua após a publicidade