O anúncio daquela TV que você andou pesquisando aparece na linha do tempo do Facebook pela metade do preço. 

Hoje em Dia


A oferta é um post patrocinado de alguma grande loja de varejo como Ponto Frio, Magazine Luiza ou Lojas Americanas. O link te direciona para um site idêntico ao da empresa, com menu e logotipo, mas tudo não passa de um golpe.
É dessa maneira que estelionatários têm agido para induzir clientes a pagarem por compras que nunca serão entregues. Os casos têm se tornado recorrentes, de acordo com a Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). 
Normalmente, os anúncios aparecem nos perfis dos usuários com produtos já pesquisados por eles. Em uma das falsas ofertas, por exemplo, uma Smart TV de 40 polegadas da Samsung sairia a R$ 899 no site “fake” do Ponto Frio. Já no oficial, o mesmo produto é encontrado a cerca de R$ 2 mil.
A página da Magazine Luiza também foi clonada. Uma Smart TV de 43 polegadas da Panasonic é oferecida pelos golpistas ao preço de R$ 999, mil reais a menos que a oferta oficial.
Segundo a promotora de Justiça Christianne Bensoussan, que está à frente da Coordenadoria de Combate aos Crimes Cibernéticos (Coeciber) no MPMG, há casos de pessoas que realizaram o pagamento via boleto bancário e perderam todo o dinheiro. 
No site falso das Lojas Americanas, por exemplo, a reportagem flagrou o anúncio de um iPhone 6 Plus por R$ 1.567,93, apenas no boleto. Na página verdadeira, o produto custa aproximadamente R$ 4.500 e pode ser pago com cartão de crédito.
Minúcia
Os criminosos são tão cuidadosos que se preocupam até com o cadeado no endereço da página, indicando que o site seria seguro. Outros inserem telefone, endereço e ainda mantêm contato com o consumidor.
O diretor do laboratório especializado em cibercrime da empresa de segurança digital PSafe, Emilio Simoni, explica que é preciso denunciar as páginas no próprio Facebook e agir de forma preventiva, sempre desconfiando de preços muito baixos. “Não é um problema só do Brasil, mas, aqui, a pessoa acaba caindo no golpe. Há falta de conscientização sobre segurança”, analisa.
Apesar de muitas das páginas que publicam as ofertas falsas terem sido denunciadas e banidas dentro do Facebook, novas fanpages são criadas a todo momento para dar continuidade à prática. 
O professor de Engenharia de Software e Gestão e Tecnologia da Informação do Ietec, Regilberto Girão, destaca que “antes de qualquer coisa, há o ser humano por trás dessa prática. Se essas novas páginas estão sendo criadas por robôs, o comando precisou ser programado por alguém”, esclarece.

A matéria continua após a publicidade