Para combater as frequentes explosões a caixas eletrônicos em Minas Gerais, chamado de novo cangaço, vai ser criada uma delegacia especializada em investigação e repressão de roubo a bancos. 
A sede será em Belo Horizonte, mas a equipe tentará identificar a rota das gangues em todo Estado. "Desejamos identificar e neutralizar essas células criminosas", afirma o chefe-adjunto da Polícia Civil de Minas Gerais,  Rogério de Melo Franco Assis Araújo. 
Ele explica que boa parte dos criminosos que chegam fortemente armados em cidades interioranas saem de outros Estados. Mas garante ter informações de facções mineiras em atuação.

Em 2017, foram 149 ataques a caixas eletrônicos em Minas. O número é 31% menor do que os 216 do ano anterior, mas ainda preocupa pela gravidade e truculência das ações. 

A nova delegacia terá um contingente de 20 profissionais, incluindo agentes e delegados. Ela vai funcionar onde hoje é o Deoesp, na Gameleira, e entrará em funcionamento ainda neste mês. A criação de outras repartições com a mesma especialização em outras partes do Estado não é descartada.

Publicidade