As sucessivas altas nos preços dos combustíveis obrigaram o consumidor a buscar alternativas na hora de abastecer o veículo. Para diminuir os gastos em tempos de crise e de gasolina a mais de R$ 4,20 em BH, alguns motoristas estão abandonando o derivado do petróleo ou o etanol. Nesse cenário, uma opção que há tempos vinha sendo esquecida, mas que voltou a ganhar força nos últimos meses, é o Gás Natural Veicular (GNV).
Segundo dados da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), 260 veículos foram convertidos para o GNV do início de abril e 10 de dezembro do ano passado. Já no período de 11 de dezembro de 2017 a 8 de janeiro deste ano, foram realizadas 130 conversões.

O aumento na procura é justificado pelas sucessivas altas no preço da gasolina, que ocorreram principalmente de dezembro até agora, e por uma iniciativa promovida pela Gasmig, que busca incentivar o uso do GNV.

Desde o final de 2017, a estatal vem oferecendo um bônus de R$ 2 mil para quem fizer a conversão para o GNV e regularizar o veículo.

Após seguir os passos descritos no regulamento da promoção, que está disponível no site da Gasmig, o consumidor terá o valor depositado em uma conta virtual que vai ser criada e, em seguida, receberá um cartão de débito para desfrutar do montante como bem entender. Dá para comprar uma geladeira, por exemplo, ou até mesmo ajudar na despesa com a conversão, que custa em torno de R$ 5 mil.

Quem destaca a economia feita a partir do uso do GNV é o motorista de aplicativo Willian de Carvalho, que adaptou o veículo há dois anos. “O GNV é a melhor opção, sem dúvida. Eu fiz um cálculo e percebi uma economia gritante com o GNV, de cerca de 40%. Eu rodo em torno de 160 quilômetros com R$35 de combustível. Se fosse na gasolina, eu gastaria de R$70 a R$80”, destaca. 


A matéria continua após a publicidade