AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

MPE desencadeia mega operações em Minas Gerais; delegado de Patos de Minas está foragido

19/12/2017
O Ministério Público de Minas Gerais, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, desencadeia em todo o Estado, uma mega Operação de combate ao crime organizado e contra a corrupção. 

O chefe do departamento da Polícia Civil de Patos de Minas, Delegado Elber Barra Cordeiro, está foragido da justiça. Até o momento foi preso o inspetor Francisco. Serão mais de 100 mandados de prisão e busca e apreensão.  
Os mandados judiciais foram cumpridos nas cidades de Uberlândia, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Patrocínio, Monte Alegre de Minas, Passos, Pouso Alegre, Araxá e Belo Horizonte, todas no estado de Minas Gerais, além de Cascavel/PR e Cuiabá/MT. Dentre as 136 (cento e trinta e seis) pessoas investigadas cujas prisões preventivas foram decretadas encontram-se 10 (dez) Delegados de Polícia – sendo 3 (três) Chefes de Departamento e 1 (uma) Delegada Regional, 2 (dois) Escrivães de Polícia, 45 (quarenta e cinco) Investigadores de Polícia e 7 (sete) Advogados.
No total são 4 operações: FÊNIX, ALIBABA, OUROBOROS e EFÉSIOS. No momento, os agentes da Polícia se concentram na residência do Delegado Elber. Suspeita-se que ele esteja envolvido nas quatro operações. São denúncias de formação de quadrilha, associação criminosa, corrupção, tráfico e uma serie de outras denúncias. Mais detalhes em instantes.


A operação Ouroboros resultou no oferecimento de sete denúncias de roubo agravado (emprego de arma, concurso de pessoas e restrição da liberdade das vítimas), organização criminosa, associação para o tráfico de drogas, tráfico ilícito de entorpecentes, falsidade ideológica e porte e comércio ilegais de armas de fogo.

Já a operação Efésios ocorreu após acordos de colaboração premiada firmados pelo Gaeco de Uberlândia. Ao todo, são 19 denúncias de organização criminosa, associação criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva, tráfico ilícito de entorpecentes, porte e posse ilegal de arma de fogo, falsidade Ideológica, estelionato, receptação qualificada, falso testemunho e prevaricação.

Na operação Fênix foram oferecidas 29 denúncias, duas cautelares de requerimento de decretação de prisões preventivas e três cautelares de requerimentos diversos (busca e apreensão e conduções coercitivas). Participaram da ação sete promotores de Justiça, três auditores da Receita Estadual, 500 policiais militares e 150 policiais rodoviários federais, tendo sido utilizadas duas aeronaves e 150 viaturas.

Por meio de nota, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que a Corregedoria-Geral da corporação participou e continua apoiando as investigações. “A PCMG lamenta o acontecido e ressalta que não compactua com desvios de conduta funcional, determinando que os envolvidos fossem exonerados dos seus cargos de confiança. A Chefia de Polícia determinou, ainda, que o Órgão Corregedor da PCMG instaure Processos Administrativas para apuração dos fatos, respeitando sempre os princípios constitucionais vigentes”, finalizou.


CONHEÇA A OPERAÇÃO:

A unidade regional de Uberlândia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) deflagrou nesta terça-feira (19) a megaoperação Fênix em 12 cidades de três estados da federação. A operação contemplou o cumprimento de 200 mandados de prisão preventiva expedida contra 136 pessoas, 121 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de condução coercitiva.
Participaram da operação 5 Promotores de Justiça, 3 auditores da Receita Federal, 500 Policiais Militares e 150 Policiais Rodoviários Federais, sendo utilizadas 2 aeronaves e 150 viaturas. Os mandados judiciais foram cumpridos nas cidades de Uberlândia, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Patrocínio, Monte Alegre de Minas, Passos, Pouso Alegre, Araxá e Belo Horizonte, todas no estado de Minas Gerais, além de Cascavel/PR e Cuiabá/MT.
Dentre as 136 pessoas investigadas cujas prisões preventivas foram decretadas encontram-se 10 Delegados de Polícia, sendo 3 Chefes de Departamento e 1 Delegada Regional, 2 Escrivães de Polícia, 45 Investigadores de Polícia e 7 Advogados. As Delegacias Regionais de Polícia Civil de Uberlândia e Araguari foram objeto de buscas, as quais contaram com o apoio da Receita Estadual de Minas Gerais.  A megaoperação Fênix se divide em três operações: Operação Alibaba, Operação Ouroboros e Operação Efésios. 

Publicidade

MPE desencadeia mega operações em Minas Gerais; delegado de Patos de Minas está foragido Reviewed by DestakNews Brasil on 21:20 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.