Acesso a ruas fechado com correntes, pneus e veículos em chamas, luzes apagadas após tiros nos transformadores de energia do bairro e um armamento pesado, de uso exclusivo das Forças Armadas. Para policiais e especialistas em segurança pública, o assalto cinematográfico a uma empresa de transporte de valores em Uberaba, no Triângulo, na madrugada de ontem, revela o tamanho da ousadia e profissionalismo dos criminosos que, até o fechamento desta edição, não haviam sido presos.
A ação também acende o alerta sobre a possibilidade de explosões de caixas eletrônicos, comuns em cidades com população inferior a 15 mil habitantes, chegarem aos municípios de médio porte do Estado. “Por ser mais fácil, esse tipo de crime ocorre em cidades pequenas. Os bandidos cercam os batalhões, que têm contingentes menores. Mas agora eles desafiam as autoridades com um planejamento capaz de fazer o mesmo em uma cidade maior. Com certeza outras podem estar na mira”, afirma Islande Batista, especialista em segurança. Uberaba tem cerca de 320 mil habitantes.
A Polícia Militar (PM) promete reagir. “Temos um plano de intervenção no interior com treinamento de policiais para lidar com ataques a agências bancárias. Mas esse fato (de Uberaba) surpreendeu o comando e a estratégia será ampliada para cidades de médio porte”, afirma o tenente Cristiano Araújo.
Uma parte dos bandidos cercou os acessos ao bairro Boa Vista, onde fica a Rodoban, para impedir que a polícia chegasse ao local; o montante levado da empresa de transporte de valores não foi divulgado
Ataque Uberaba
Carros de moradores foram incendiados
Cenário de guerra
A ação em Uberaba teve início por volta das 3h e se estendeu até 5h20. Os bandidos usaram veículos e pneus em chamas para evitar a passagem dos policiais pelas ruas, além de correntes e os chamados ‘miguelitos’, objetos que perfuram pneus. Foram dados vários tiros como forma de intimidação.
Enquanto isso, comparsas explodiram a empresa e roubaram o dinheiro. Na fuga, os ladrões abandonaram seis carros e um caminhão com dinamites, encontrados na tarde de ontem pela polícia. 

A matéria continua após a publicidade