O Cruzeiro viajou ao Rio de Janeiro, se hospedou em Copacabana e se 'esqueceu de entrar em campo' contra o Flamengo.

Com Hoje Dia


Na Ilha do Governador, bairro onde fica a Ilha do Urubu, na capital carioca, a Raposa perdeu para o Rubro-Negro por 2 a 0, nesta quarta-feira (7), pela 33ª rodada da Copa do Brasil. Os gols flamenguistas foram marcados por Everton, no primeiro tempo, e Vinícius Junior, no segundo.
A derrota fez a Raposa cair uma posição na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Agora o time de Mano Menezes é o sexto colocado atrás do Botafogo. Ambas as equipes têm 51 pontos, mas o time da Estrela Solitária é o quinto nos critérios de desempate.
A próxima partida do Cruzeiro é contra outro time carioca, o Fluminense, neste domingo, às 19h, no Mineirão. O Flamengo visita o Palmeiras na Arena Palmeiras também no domingo, às 17h. 
O jogo
O primeiro tempo esteve longe de ter a mesma dinâmica e apelo dos encontros entre as equipes na final da Copa do Brasil. Entretanto, por jogar em casa, o Flamengo propôs mais o jogo, de forma bem superior no campo de ataque e pressionando o Cruzeiro. Sem qualquer força ofensiva, a Raposa chegou a ostentar míseros 38% de domínio da bola. E time que não ataca, fatalmente abre o precedente para o adversário abrir o placar. E foi justamente isso que aconteceu.
De tanto chamar o Flamengo para o seu campo defensivo, o time de Mano Menezes acabou penalizado. Aos 36 minutos o time rubro-negro abriu o placar. Felipe Vizeu tocou de cabeça dentro da área e ajeitou para Everton, que balançou as redes de Fábio: 1 a 0.
O gol apenas contextualizou um primeiro tempo de baixo rendimento da equipe celeste, que finalizou apenas duas vezes a gol. Já os cariocas, mandantes na plenitude no jogo, chutaram dez vezes. 

A matéria continua após a publicidade

Não bastasse a atuação ruim do time de Mano Menezes, o meia-atacante Thiago Neves deu um susto nos torcedores e no próprio treinador. Aos 38 minutos o camisa 30 levou um forte pisão no tornozelo, dado por Willian Arão. 
Na saída para o intervalo o meia-atacante comentou sobre sua condição física. “Eu torci (tornozelo). Está incomodando um pouco, mas nada que impeça de voltar para o segundo tempo. Temos que colocar a bola no chão. Temos que melhorar muito, ao menos, para tentar empatar”, comentou. 
Apesar de falar em melhorar, o Cruzeiro seguiu com um futebol pobre na etapa complementar. Diego Alves era mero espectador, praticamente não foi testado. Mas o Flamengo também não apresentou o mesmo volume de jogo do primeiro tempo, o que tornou a partida ainda pior em quesitos técnicos.
O comportamento da equipe da casa demonstrava certo comodismo com o resultado, e mesmo assim o Cruzeiro não conseguia encaixar o seu jogo. E a apatia da equipe azul irritava bastante Mano Menezes. Da área técnica o treinador gesticulava bastante, gritava e cobrava mais atitude dos atletas. 
A bronca não adiantou muito e quem seguia trabalhando mesmo era Fábio. Aos 33 minutos o goleiro fez defesa espetacular após chute forte de Everton. Seria o segundo gol flamenguista, e também do meia-atacante, não fosse a intervenção do camisa 1 estrelado.
Para coroar a superioridade flamenguista, o garoto Vinícius Júnior decretou a derrota cruzeirense com o segundo gol, aos 48 minutos do segundo tempo. E o jogo terminou assim. 
FLAMENGO 2 X 0 CRUZEIRO
Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro Local: Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ) Arbitragem: Leandro Bizzio Marinho (SP) Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP) Gol: Everton, aos 36 minutos do primeiro tempo; Vinícius Júnior, aos 48 minutos do segundo tempo Cartão amarelo: Henrique, Manoel, Rafael Sóbis (CRU); Rodholfo (FLA) Cartão vermelho: Não houve Público: 5.910  Renda: R$ 209.100,00
FLAMENGO - Diego Alves; Pará, Rhodolfo, Rafael Vaz e Renê; Willian Arão e Cuéllar; Éverton Ribeiro (Rodinei), Lucas Paquetá (Vinícius Junior) e Éverton; Felipe Vizeu. Técnico: Reinaldo Rueda
CRUZEIRO - Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Robinho (Jonata) e Thiago Neves; Alisson (Élber) e Rafael Marques (Rafael Sóbis). Técnico: Mano Menezes