Na Reunião Ordinária de Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desta quinta-feira (14), o deputado Cabo Júlio (PMDB) pediu desculpas por um pronunciamento que fez, também em Plenário, no dia 9 de novembro de 2016, em que se referiu à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) como "vaca".

Hoje em Dia
Cabo Júlio teria dito: "Essa vaca devia levar esses menores para sua casa"

No início da reunião, o deputado solicitou a palavra e recordou seu pronunciamento anterior, quando criticou um comentário que foi publicado em uma rede social, em nome da deputada Maria do Rosário. Depois, a deputada disse que a postagem era falsa e que processaria Cabo Júlio.
A polêmica surgiu a partir de uma tentativa de assalto ocorrida na Cidade Lider, na Zona Leste de São Paulo, no dia 5 de novembro de 2016. A vítima foi um policial militar que trabalhava como motorista do aplicativo Uber, para transporte de passageiros. 
Ele reagiu à abordagem dos três assaltantes que anunciaram o assalto durante a corrida. Os três criminosos, inclusive um adolescente de 15 anos, foram mortos.
A postagem atribuída a Maria do Rosário lamentava a reação do policial, argumentando que, se ele não tivesse atirado, o prejuízo seria menor para a sociedade, uma vez que "apenas uma família choraria", em vez de três. 
Além de negar que tivesse comentado algo assim, Maria do Rosário apoiou a atitude do policial, afirmando que é natural ao ser humano o direito de se defender.
Na reunião desta quinta (14), Cabo Júlio afirmou que, uma vez que a deputada disse que a fala não é dela, caberia um pedido de desculpas. Recordando suas palavras anteriores, ele disse ter afirmado que "essa vaca devia levar esses menores para sua casa". 
"Cabe um pedido de desculpas neste Parlamento. Termos como 'vaca' ofendem a ela e ao Parlamento", afirmou. "Cabe um pedido de desculpas, que eu faço agora", concluiu o deputado.

Publicidade