AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Saiba quem são os policiais mortos no Estado do Rio em 2017

27/08/2017

Cem PMs foram assassinados neste ano de 2017

O Dia

1º de janeiro



Soldado André William Barbosa de Oliveira Reprodução

O soldado André William Barbosa de Oliveira, 32 anos, foi morto a tiros enquanto estava em uma festa na Favela do Batan, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Lotado no 3º BPM (Méier), o agente teria sido sequestrado por criminosos enquanto participava da comemoração. Morto, o seu corpo foi encontrado dentro do porta-malas de seu próprio carro, na Rua Clodoaldo de Freitas, em Guadalupe, na Zona Norte.

Soldado Antônio Carlos Paiva Nunes

1º de janeiro

Soldado Antônio Carlos Paiva Nunes Reprodução

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, 34 anos, foi baleado quando passava de viatura pela Avenida Leopoldo Bulhões, na altura de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele estava de serviço na supervisão da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). O militar ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, mas não resistiu aos ferimentos, e teve a morte cerebral confirmada pelos médicos no dia seguinte. Há cinco anos na corporação, o soldado Paiva não tinha filhos.

Cabo Cleiton William Santos de Freitas
2 de janeiro

Cabo Cleiton William Santos de Freitas Reprodução

Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Cleiton William Santos de Freitas foi assassinado, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, durante uma tentativa de assalto. O PM dirigia seu veículo, um Saveiro preto, pela Estrada do Tinguá, em Xerém, quando foi abordado por criminosos armados. Os bandidos fizeram vários diversos disparos contra o policial. A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

Sargento reformado da PM Francisco Assis de Aguiar
2 de janeiro

Sargento reformado da PM Francisco Assis de Aguiar Reprodução

Também no segundo dia de 2017 e na Baixada, o sargento reformado da PM Francisco Assis de Aguiar foi baleado durante tentativa de assalto na saída de um banco Bradesco, em Guapimirim. Acompanhando de um colega, também da PM, as vítimas foram abordadas por criminosos que tentaram roubar a agência. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal de Guapimirim, onde o sargento Francisco não resistiu.

Soldado Jefferson Martins Pedra 
4 de janeiro
Lotado no 18° BPM (Jacarepaguá), o soldado Jefferson Martins Pedra morreu após ser baleado em frente ao Tijuca Off Shopping, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Jefferson estava de folga e fazia um bico no edifício comercial quando presenciou bandidos fugindo, após o assalto a uma joalheria no shopping. O militar tentou impedir a fuga, trocou tiros com os suspeitos e acabou sendo baleado. O militar foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí, onde acabou falecendo.

Soldado Marcelo Abdalla Neder
5 de janeiro 

PM Marcelo Abdalla Neder foi morto em ataque de bandidos na Dutra, em Nova Iguaçu Reprodução Facebook

Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins de Vasconcellos, o soldado Marcelo Abdalla Neder, 34 anos, e o soldado Carlos Roberto Freitas foram baleados ao se deparar com uma quadrilha que roubava carga, na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O soldado Abdalla não resistiu. Ele e o soldado Bruno Aurélio de Carvalho estavam de carona no carro do soldado Carlos. Moradores de Resende, os três estavam a caminho do Rio para assumir o serviço. Apenas um dele estava armado, pois os outros ainda não haviam conseguido receber o Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf). Próximo ao posto de combustível Mata Virgem, tentando escapar de uma retenção no trânsito, o soldado Carlos tentou cortar os veículos à sua frente e acabou se deparando com um assalto. Cerca de sete homens armados abordavam dois caminhões dos Correios. Ao perceber a aproximação do automóvel em que estavam os PMs, os criminosos dispararam, atingindo o soldado Abdalla, que morreu no local. O soldado Carlos foi baleado no joelho e o soldado Bruno foi agredido a coronhadas. Os bandidos fugiram levando o carro do soldado Carlos e a pistola calibre 380 do soldado Bruno.

Subtenente reformado da PM Cássio Ferreira 
7 de janeiro

O subtenente reformado da PM Cássio Ferreira WhatsApp O DIA (98762-8248)

O subtenente reformado da PM Cássio Ferreira foi o sétimo PM a ser morto no Rio, em 2017. Seu corpo foi encontrado carbonizado em seu carro – um Renault Sandero cinza, que estava incinerado - na Estrada Reta de Santa Cruz, em Itaguaí, na Baixada Fluminense.

Soldado Daniel Cavalcante da Silva
10 de janeiro

Daniel Cavalcante Reprodução Internet

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras, o soldado Daniel Cavalcante da Silva, 26 anos, foi morto por traficantes de Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi encontrado dentro de um carro, na Avenida Engenheiro Pires Rebelo, em Bangu, também na Zona Oeste, com marcas de tortura e tiros. O PM morava próximo da comunidade.

Soldado Sandro Mendes de Lyra
12 de janeiro

O soldado da PM Sandro Mendes de Lyra, de 36 anos, foi morto com um tiro na cabeça em um ataque de bandidos na Favela do Mandela Reprodução

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Sandro Mendes de Lyra, 36 anos, morreu após ser baleado durante um ataque à viatura, na localidade conhecida como Igrejinha, na Favela Mandela, no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM estava na viatura da supervisão seguindo para a base da UPP quando criminosos em uma moto passaram e efetuaram disparos contra a viatura em que ele estava. Atingido na cabeça, ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, mas não resistiu. Ele estava na corporação desde 2012 e deixou esposa e dois filhos.

Sargento Fábio Magalhães Teixeira
13 de janeiro
O sargento Fábio Magalhães Teixeira, 44 anos, lotado no 14° BPM (Bangu), morreu após ser baleado durante ataque de criminosos na Favela Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Ele trabalhava no auxílio à Polícia de Trânsito (APTran) e participava de operação conjunta com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy. Após ordenar a parada de um carro, a vítima foi baleada por bandidos. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, onde chegou a passar por uma cirurgia, mas não resistiu. Há 20 anos na corporação, ele deixou esposa e um filho.


Sargento Cristiano da Anunciação Macedo
15 de janeiro

O PM estava de folga quando foi assassinado Divulgação

Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o sargento Cristiano da Anunciação Macedo, 39 anos, morreu após ser baleado ao tentar apartar uma briga durante uma festa no clube Fazenda, no bairro Vila Rosali, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu aos ferimentos.

Cabo Cosme Rodrigues Souza Júnior
19 de janeiro

Soldado Cosme Rodrigues Souza Júnior Reprodução

Lotado na 1ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), no Palácio Guanabara, o cabo Cosme Rodrigues Souza Júnior, de 32 anos, morreu após ser baleado na cabeça dentro do Shopping Jardim Guadalupe, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio, na noite de 18 de janeiro. Atingido na cabeça, o PM chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu ao ferimento. Os criminosos teriam tentado praticar um assalto à joalheria Meiry Jóias quando o cabo, que estava de folga e passeava no local, tentou intervir e acabou atingido. Na corporação há oito anos, ele deixou uma mulher e uma filha.

Subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues
19 de janeiro

Subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues Reprodução

Cedido ao Grupo de Apoio à Promotoria (GAP) de Nova Iguaçu, o subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues, 52 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto a uma padaria na esquina da rua onde mora, em Japeri, na Baixada Fluminense. O PM estava no estabelecimento, localizado na Rua Dulce Zilda, no bairro Parque Professor João de Maria, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. Ele reagiu e na troca de tiros acabou atingido. Socorrido por vizinhos, ainda foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu.

Subtenente reformado Amauri Panema
22 de janeiro

O subtenente Amauri Panema Reprodução

O subtenente reformado Amauri Panema, 52 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto em seu bar, em Ramos, na Zona Norte do Rio. O PM estava em seu estabelecimento, localizado na Rua Tupinambás, quando criminosos entraram e anunciaram o assalto. O subtenente Panema trocou tiros com os bandidos, mas acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso, mas não resistiu.

Sargento Renato Alves da Conceição
25 de janeiro

O segundo sargento Renato Alves da Conceição, de 39 anos, era lotado na Diretoria Geral de Pessoal WhatsApp O DIA (98762-8248)

Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Renato Alves da Conceição, 39 anos, morreu após ser baleado na  Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ele passava com seu veículo – uma BMW branca – pela Rua Acapurana, na Favela Gardênia Azul, quando foi alvejado por cerca de oito tiros.

Cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior
27 de janeiro

Cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior Divulgação

Lotado no 34º BPM (Magé), o cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior, 34 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto na loja Casas Bahia, no bairro Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

Sargento Artur Fernando Ribeiro Moura
27 de janeiro 

Sargento Artur Fernando Ribeiro Moura Reprodução


Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Artur Fernando Ribeiro Moura, 47 anos, morreu após ser baleado durante uma saidinha de banco, na esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana com a Rua Joaquim Nabuco, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu.
Subtenente Evaldo Fernandes da Silva
30 de janeiro

O Subtenente Evaldo Fernandes da Silva Reprodução

Lotado no 29º BPM (Itaperuna),o subtenente Evaldo Fernandes da Silva, 37 anos, morreu após ser atingido por um disparo acidental — da própria arma — em um patrulhamento de rotina no Morro do Cristo, em Itaperuna. O PM tropeçou e na queda acabou disparando acidentalmente sua arma. Ele estava de colete, mas o projétil atingiu a clavícula. Socorrido e levado para o Hospital São José do Avaí, no Centro, ele teve várias paradas cardíacas e não resistiu.

 Sargento André Luiz de Araújo

31 de janeiro

Sargento André Luiz de Araújo Reprodução

O sargento André Luiz de Araújo, 42 anos, foi baleado dentro de um bar na Rua Dona Maria, no bairro Agostinho Porto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Em estado grave, ele foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Ele permaneceu mais de uma semana internado, mas não resistiu aos ferimentos. O policial era lotado na Policlínica da Polícia Militar (PPM) Cascadura.

Sargento reformado Carlos Elias dos Santos Vasconcellos 

31 de janeiro
O sargento reformado da PM Carlos Elias dos Santos Vasconcellos foi morto por traficantes no Conjunto da Marinha, no bairro Ipiranga, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O policial teria sido reconhecido. À época, o PM levava uma amiga interessada em alugar seu antigo apartamento. A amiga, a vendedora Vivian Ribeiro Machado Viana, também foi assassinada. Os dois corpos foram encontrados carbonizados no porta-malas de um carro roubado.

Soldado Eduardo Ribeiro Paraguai

5 de fevereiro

Soldado Eduardo Ribeiro Paraguai Reprodução

Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o soldado Eduardo Ribeiro Paraguai, 36 anos, foi morto dentro de casa, na Rua Tinharé, no bairro São José do Imbassaí, em Maricá. O PM foi assassinado com vários tiros.

Cabo Tiago Bispo dos Santos
7 de fevereiro

Cabo Tiago Bispo dos Santos Reprodução

O cabo Tiago Bispo dos Santos, 34 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela Dom Bosco, no bairro Cabuçu, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Lotado no 20° BPM (Mesquita), o militar fazia uma patrulha de rotina quando foi atingido no peito. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu ao ferimento.

Cabo reformado Nielson do Carmo Costa
10 de fevereiro 

Cabo reformado Nielson do Carmo Costa Reprodução

O cabo reformado da PM Nielson do Carmo Costa morreu após ser baleado na porta de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM tinha acabado de sair da academia e conduzia seu veículo pela Rua Sílvio Rocha, no Centro, quando foi cercado pelos ocupantes de um carro não identificado – um deles armado com um fuzil. O policial ainda desceu de seu automóvel e correu tentando entrar em casa, mas foi atingido por diversos disparos. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu.

Soldado Wallace Guimarães de Souza

10 de Fevereiro

Soldado Wallace Guimarães de Souza Reprodução

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Wallace Guimarães de Souza, 27 anos, morreu após ser baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM estava na Rua Senador Fernando Mendes, no Centro, quando foi abordado por dois criminosos em uma moto. Ao descobrir que a vítima era policial, os bandidos efetuaram disparos e fugiram levando a mochila do soldado. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, mas não resistiu.

Soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva
11 de Fevereiro

Soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva Reprodução

O soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva, 27 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, foi o vigésimo sexto PM a ser assassinado, no Rio. Ele morreu após ser baleado durante uma discussão na saída de um forró, no bairro Retiro, em Volta Redonda. O autor do crime também era PM – o soldado Everton de Freitas Vieira, lotado no 10ºBPM (Barra do Piraí). Ele foi preso no dia seguinte ao crime, por policiais da 93ª DP (Volta Redonda).
Subtenente Marcos Cesar Tarradt
12 de fevereiro

O PM Marcos Cesar Tarradt Reprodução

O subtenente Marcos Cesar Tarradt, de 48 anos, foi encontrado morto junto com a mulher, Raphaela de Farias Guimarães, dentro de casa, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) fez perícia no local e ao que tudo indica, os dois foram vítimas de golpes de facas. O subtenente era lotado no 19° BPM (Copacabana) e estava na corporação há 28 anos.
Soldado reformado Renault Ferreira Feitosa
13 de Fevereiro

Soldado reformado Renault Ferreira Feitosa Reprodução

O soldado reformado Renault Ferreira Feitosa, 39 anos, morreu após ser baleado, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O PM, que era portador de esquizofrenia, discutiu com um homem durante uma festa na Favela Barreira do Vasco e quando saiu do local e passava pela Rua Ricardo Machado, foi alvo de tiros.

Sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins
14 de Fevereiro

Sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins Reprodução

Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins, 46 anos, foi assassinado, em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM foi encontrado carbonizado no porta malas de seu carro, próximo da Comunidade da Palmeirinha.

Soldado Michel de Lima Galvão
21 de Fevereiro

Soldado Michel de Lima Galvão Reprodução

Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Michel de Lima Galvão, 32 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da Comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. O PM foi baleado pelas costas. O tiro entrou pelo ombro e perfurou o pulmão. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. 
Cabo Thiago de Oliveira Lance
23 de Fevereiro

Cabo Thiago de Oliveira Lance Reprodução

O cabo Thiago de Oliveira Lance, 31 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, foi o trigésimo PM a ser assassinado no Rio, em 2017. A vítima reagiu a um assalto, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM tinha saído de serviço e estava indo para casa quando foi abordado pelos criminosos, na Rua Iranduba. Ele trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido. Os bandidos fugiram levando a arma e a moto do policial, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. O cabo Lance deixou esposa grávida de sete meses — o filho nasceu no final do mês de abril.

Cabo Rodrigo Severo
26 de fevereiro

Cabo Rodrigo Severo Reprodução

Os cabos Rodrigo Severo e Ricardo Feitosa, que trabalhavam no 16º BPM (Olaria), foram assassinados e tiveram os corpos deixados dentro de um carro carbonizado, na Rua Jorge Coelho, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio.

Cabo Ricardo Feitosa
26 de fevereiro

Cabo Ricardo Feitosa Reprodução

Os cabos Rodrigo Severo e Ricardo Feitosa, que trabalhavam no 16º BPM (Olaria), foram assassinados e tiveram os corpos deixados dentro de um carro carbonizado, na Rua Jorge Coelho, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio.

Ademilson Pereira
PM reformado Ademilson Pereira é assassinado. A Polícia Militar não informou as circunstâncias da morte.

Subtenente reformado José Luiz da Silva Filho
9 de Março 

Subtenente reformado José Luiz da Silva Filho Reprodução

O subtenente reformado da PM José Luiz da Silva Filho, 55 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, no bairro Laranjal, em São Gonçalo. A vítima levava seu cachorro para passear quando presenciou uma mulher sendo abordada por assaltantes na esquina das ruas Imbitiba e César Lattes. Ele lutou com o criminoso, mas acabou desarmado e executado com a própria pistola. O bandido fugiu levando a arma e o celular da vítima.

Sargento Luiz Carlos Sampaio Silva Mendes
18 de Março 

Sargento Luiz Carlos Sampaio Silva Mendes Reprodução

O sargento Luiz Carlos Sampaio Silva Mendes, 62 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.

Sargento Renato César Jorge Cardoso

16 de Março

Sargento Renato César Jorge Cardoso Reprodução

O sargento Renato César Jorge Cardoso, 48 anos, lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Maracanã, na Zona Norte do Rio. Ele seguia em sua moto pela Rua São Francisco Xavier quando, na altura da esquina com a Rua Radialista Waldir Amaral, próximo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), quando foi abordado por assaltantes. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido. O PM reagiu e chegou a trocar tiros com os bandidos, mas acabou atingido.

Sargento Roberto Soares Santanna Júnior

15 de Março

Sargento Roberto Soares Santanna Júnior Reprodução


Lotado no 6º BPM (Tijuca), o sargento Roberto Soares Santanna Júnior, 42 anos, foi assassinado na porta de sua residência, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava afastado do serviço em licença médica para tratamento de saúde. O crime ocorreu na Avenida Maria Augusta da Silva, no Centro.

Sargento Luiz Alberto do Couto Neves
12 de Março

Sargento Luiz Alberto do Couto Neves Reprodução

Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o sargento Luiz Alberto do Couto Neves, 39 anos, foi assassinado ao tentar recuperar uma moto roubada, em São Gonçalo. Três primos do PM também morreram na ação: o funcionário de uma empresa de iluminação pública, Jorge da Silva Barcellos Filho, 35, o eletricista Everaldo Leckar da Silva, 46, e o mecânico Carlos Augusto Leckar Magalhães, 47.

Soldado Gabriel Brasil Soares
16 de Março

Soldado Gabriel Brasil Soares Reprodução

Lotado no 5° BPM (Praça da Harmonia), o soldado Gabriel Brasil Soares morreu após ser baleado ao se deparar com um “bonde”, em Magé, na Baixada Fluminense. Ele seguia para o trabalho e ao passar pela Estrada da Mineira se deparou com criminosos em um carro preto e com escolta de comparsas em duas motos. A arma do policial foi levada. Ele ainda foi socorrido por policiais do 34° BPM (Magé), mas não resistiu.

Soldado Eli Barbosa dos Santos
19 de Março

Soldado Eli Barbosa dos Santos Reprodução

Lotado no 20° BPM (São João de Meriti), o soldado Eli Barbosa dos Santos, 38 anos, morreu após ser baleado, no bairro Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. O PM tinha deixado a esposa e os dois filhos na casa de parentes na região mais cedo e estava indo buscá-los. Traficantes teriam descoberto que ele era policial e ficaram monitorando até o horário em que ele retornou. A arma do PM foi roubada.
Soldado Samuel Oliveira da Silva
20 de Março
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o soldado Samuel Oliveira da Silva morreu após ser baleado durante assalto na Linha Vermelha, na altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM, que ainda não tinha conseguido receber seu Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf), estava desarmado e conduzia sua moto quando foi abordado pelos criminosos, na altura do quartel do Corpo de Bombeiros. O policial tinha marcas de tiros no tórax, no braço e na cabeça. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, no bairro Saracuruna, mas não resistiu. 

Subtenente reformado Dilson Medina Soares
24 de Março

Subtenente reformado Dilson Medina Soares Reprodução

O subtenente reformado Dilson Medina Soares foi assassinado em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O PM estava em um bar na Avenida Adolfo Beranger Júnior, no bairro Guarani, acompanhado por um amigo. Os dois bebiam cerveja quando dois bandidos encapuzados chegaram em uma moto. O policial ainda correu para dentro do comércio, mas acabou morrendo no local após ser atingido por um disparo na cabeça. Os criminosos fugiram sem levar a arma do subtenente Medina, que era morador do bairro Vila do Sol.

Sargento reformado Gilmar Rapozo

22 de Março

Sargento reformado Gilmar Raposo Reprodução

O sargento reformado Gilmar Raposo morreu após ser baleado na porta de sua casa, na Favela Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O crime ocorreu na Travessa Croácia.

Sargento reformado Gastão Pedro Gama Carmo 
26 de Março

Sargento reformado Gastão Pedro Gama Carmo Reprodução

O sargento reformado Gastão Pedro Gama Carmo, 69 anos, foi assassinado ao ser identificado como policial durante um assalto, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Morador do bairro, o PM seguia para a igreja e passava pela Rua Henrique Albuquerque em seu Voyage quando foi fechado pelos ocupantes de um Fiat Siena que anunciaram o roubo. O crime ocorreu na altura da Rua Descartes. Assim que viram a arma do sargento, os criminosos efetuaram disparos contra o policial, que não teve chance de defesa ou reação. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu.

Subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho
28 de Março

Subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho Reprodução

Lotado no Grupo de Apoio à Promotoria (GAP), o subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho, 54 anos, morreu após ser baleado ao ser identificado como policial, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM abastecia seu veículo em um posto de combustíveis localizado na Avenida Simão da Mota, no Centro, quando quatro bandidos chegaram no estabelecimento. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Magé, mas não resistiu.

Soldado Fábio de Oliveira Melo
29 de Março

Soldado Fábio de Oliveira Melo Reprodução

Lotado no 39º BPM (Belford Roxo), o soldado Fábio de Oliveira Melo, 34 anos, morreu após ser baleado durante assalto na Avenida do Porto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele estava há quatro anos na corporação. 

Subtenente reformado Almir Tadeu Alves de Oliveira
30 de Março
O subtenente reformado Almir Tadeu Alves de Oliveira, 57 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto no interior das Lojas Americanas, na Avenida 28 de setembro, em Vila Isabel, na Zona Norte.
Soldado Fernando Santos Andrade e Silva
29 de Março

Soldado Fernando Santos Andrade e Silva Reprodução

Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Fernando Santos Andrade e Silva, 25, morreu após ser baleado durante uma abordagem a criminosos, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu. O soldado estava há quatro na Corporação. Ele era solteiro e não tinha filho.

Soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa
1º de abril

Soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa Reprodução

Lotado no 24° BPM (Queimados), o soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa, 38 anos foi baleado durante patrulhamento na Favela 40, em Japeri, na Baixada Fluminense. Guimarães foi atingido no abdômen e no queixo. Socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, o soldado Guimarães ficou internado durante três dias, mas não resistiu e morreu no dia 4 de abril.

Sargento Sérgio Cordeiro da Silva
4 de abril

Sargento Sérgio Cordeiro da Silva Reprodução

Lotado no 39°BPM, o sargento Sérgio Cordeiro da Silva, 48 anos, morreu após ser baleado por criminosos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele participava de blitz na entrada da Favela Parque Floresta, quando um veículo preto desobedeceu à ordem de parada e iniciou fuga em direção à comunidade. Os PMs perseguiram o carro e assim que entraram na comunidade foram surpreendidos por diversos disparos efetuados contra a viatura. Atingido na altura do pescoço, o sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Ele estava há 20 anos na corporação.

Sargento Anselmo Alves Júnior 
4 de abril

Sargento Anselmo Alves Júnior Reprodução

O sargento Anselmo Alves Júnior, que era cedido à Lei Seca, foi baleado durante uma operação da pasta, em Queimados, na Baixada Fluminense. A barreira estava montada na Avenida Marinho Hemetério de Oliveira, próximo à praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro, quando ocupantes do Honda Civic cinza desobedeceram à ordem de parada e furaram o bloqueio fazendo disparos contra os agentes que estavam no local. Os policiais revidaram e houve confronto. Um dos bandidos foi atingido e morreu ainda no local. Um segundo foi preso e o terceiro conseguiu fugir. Alves foi socorrido mas morreu a caminho de uma unidade de saúde. 
Sargento reformado Walter Pegas de Oliveira
6 de abril

Sargento reformado Walter Pegas de Oliveira Reporodução

O sargento reformado Walter Pegas de Oliveira morreu após ser vítima de bala perdida, em Santíssimo, na Zona Oeste do Rio. A vítima estava na calçada de sua residência, acabou atingido no peito. Ele não resistiu.

Sargento reformado Benedito José Alvarenga da Silva 
7 de abril

Sargento reformado Benedito José Alvarenga da Silva Reprodução

O sargento reformado Benedito José Alvarenga da Silva morreu após ser baleado durante um assalto, no KM 282 da BR-101, na altura do bairro de Duques, em Itaboraí. Na ação criminosa, o sargento reformado José Antônio Moreira também foi atingido. Os criminosos fugiram levando o veículo dos PMs – um Gol – e as armas dos dois. Moradores da Região dos Lagos, os policiais chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital Municipal Leal Júnior, onde o sargento Benedito não resistiu. 

Soldado Anderson de Azevedo Marques
9 de abril 

Soldado Anderson de Azevedo Marques Reprodução


Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Anderson de Azevedo Marques, 31 anos, e o soldado Adriano foram baleados durante ataque de criminosos, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Os dois trafegavam pela Rua Barão do Bom Retiro quando desconfiaram dos ocupantes de uma moto. Na tentativa de abordagem, foram surpreendidos pela reação do carona, que efetuou diversos disparos contra a viatura. O soldado Marques foi atingido na cabeça e o soldado Adriano no braço. Duas pessoas foram vítimas de balas perdidas. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. O soldado Marques não resistiu e morreu durante a cirurgia. 

Soldado Luís Otávio da Silva Júnior
9 de abril 

Soldado Luís Otávio da Silva Júnior Reprodução

Lotado no 20°BPM, o soldado Luís Otávio da Silva Júnior morreu após ser baleado durante ataque de criminosos a uma cabine da PM na Estrada de Madureira, em Nova Iguaçu. Socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu, no dia 15 de abril. Ele estava na corporação há quatro anos.

Soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro
15 de abril

Soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro Reprodução

Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro, 32 anos, morreu no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, onde estava internado, após ter sido baleado ao impedir um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Atingido no ombro e na perna, ele sofreu uma lesão na veia femural. O PM morreu no dia 17 de abril – três dias após seu filho ter nascido.

Sargento Paulo Rogério Cappola
20 de abril

Sargento Paulo Rogério Cappola Reprodução


Lotado no 41º BPM (Irajá), o sargento Paulo Rogério Cappola, 40 anos, foi executado em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O PM conduzia seu Peugeot 406 pela Rua Itacava quando, na altura da Rua Oliveira Ribeiro, foi surpreendido por criminosos que efetuaram diversos disparos. Estava há 18 anos na corporação.

Subtenente reformado Márcio José Deodato

23 de abril

Subtenente reformado Márcio José Deodato Reprodução

O subtenente reformado Márcio José Deodato morreu após ser baleado, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Judith Guerra quando foi surpreendido pelos criminosos.

Sargento André Luiz Perez Fernandes
24 de abril

Sargento André Luiz Perez Fernandes Reprodução

Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o sargento André Luiz Perez Fernandes, 43 anos, foi assassinado, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O corpo do PM — com três marcas de tiros — foi encontrado em Unamar.

Tenente Giovani Guimarães Lemos

25 de abril 

Tenente Giovani Guimarães Lemos Reprodução

Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o tenente Giovani Guimarães Lemos, 49 anos, foi baleado durante assalto, no bairro Zé Garoto, em São Gonçalo. O PM passava pela Rua Capitão Alonso Faria quando foi abordado por três assaltantes. Ele reagiu e conseguiu balear um dos bandidos – que morreu ainda no local – mas acabou atingido na cabeça. O oficial chegou a ser socorrido para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), recebeu os primeiros atendimentos e foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde permaneceu internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas não resistiu ao ferimento e morreu dois dias depois.

Subtenente Carlos Alberto Domingos da Silva
27 de abril

Subtenente Carlos Alberto Domingos da Silva Reprodução


Lotado no 20º BPM (Mesquita), o subtenente Carlos Alberto Domingos da Silva, 32 anos, morreu após ser baleado na Vila Sarapuí, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma loja na Rua Tocantins, na altura da Favela Paraobepa, quando ocupantes de um Nissan Tida vermelho passaram e efetuaram diversos disparos contra ele. 

Sargento Alex Sandro da Silva Viana
28 de abril
Lotado no 18°BPM, o sargento Alex Sandro da Silva Viana morreu após ser baleado por um assaltante, no bairro Pechincha, na Zona Oeste do Rio. A vítima estava em uma viatura descaracterizada com colegas de farda e passava pela Estrada do Pau Ferro, quando o trânsito parou. Logo depois, um criminoso em uma moto chegou. Quando tentou abordar o veículo, o sargento Sandro desceu do carro tentando surpreendê-lo e chegou a trocar tiros com ele, mas acabou baleado. Atingido no peito, o PM foi socorrido pelos outros policiais e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu. O criminoso fugiu levando a arma do sargento.

A matéria continua após à publicidade.


Soldado Albert Souza Ferreira
29 de abril
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado Albert Souza Ferreira morreu após ser baleado em Irajá, na Zona Norte do Rio. A vítima e outros dois colegas da PM estavam em um bar Rua Amandiu, quando um carro parou e três bandidos fizeram vários disparos. Atingido, Ferreira foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Irajá, mas não resistiu.
Subtenente reformado Almir Oliveira de Mattos
2 de maio 
O subtenente reformado Almir Oliveira de Mattos foi assassinado dentro de casa, no bairro Visconde, em Itaboraí.
Sargento Marcos Braz de Moraes
5 de maio
Lotado na Subsecretaria Militar da Casa Civil, no Palácio Guanabara, o sargento Marcos Braz de Moraes, 43 anos, morreu ao ser baleado durante assalto no Viaduto do Gasômetro, acesso à Ponte Rio-Niterói. O PM trafegava em sua moto Honda CBR branca quando foi abordado pelos criminosos, que tentaram levar seu veículo.

Soldado Flávio Bruno Braga Galdino
8 de maio
O soldado Flávio Bruno Braga Galdino, lotado no 40° BPM (Campo Grande), o morreu após ser baleado em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM teria sido atingido após sair da boate Coliseum, que fica na Rua Baicurú. Após uma briga no interior do estabelecimento, frequentadores do local teriam continuado a confusão do lado de fora e o policial acabou atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, mas não resistiu.

Soldado Marcos Vinícius Borges Santana
11 de maio
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o soldado Marcos Vinícius Borges Santana morreu após ser baleado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Ele estava acompanhado pelo ex-bombeiro Wallace Castro – expulso da corporação por acusações de envolvimento com milícia e que também morreu. O crime foi praticamento por homens encapuzados, na Avenida General Osvaldo Correia de Farias, próximo à praça Montese.

Subtenente reformado Valmir dos Santos Tavares

12 de maio
O subtenente reformado Valmir dos Santos Tavares, 70 anos, morreu após ser baleado no bairro Jurujuba, em Niterói. O PM tinha acabado de sair de uma barbearia e caminhava pela Travessa Gonçalo Ferreira, entre praça e a igreja do bairro, quando foi surpreendido por dois homens armados em uma moto.


Sargento Emílio de Jesus Monteiro

12 de maio
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o sargento Emílio de Jesus Monteiro, 47 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O PM aguardava a saída de uma amiga na Faculdade Estácio, na Rua Lemos, quando foi abordado pelo criminoso. Ele ainda trocou tiros com o bandido, mas acabou atingido na cabeça e não resistiu. O assaltante conseguiu fugir levando a arma do PM.

O sargento reformado Marcondes José Meireles Ferreira
12 de maio
O sargento reformado da PM Marcondes José Meireles Ferreira, de 57 anos, foi encontrado morto dentro do próprio carro, em Santa Expedito, Itaboraí. O militar estava com um grande corte no pescoço, semelhante ao provocado por uma lâmina. O corpo da vítima estava no interior do veículo, um Nissan Livina bege, que estava desligado, estacionado, com os bancos dianteiros deitados e o vidro do motorista entreaberto. Os agentes da especializada irão investigar as circunstâncias da morte de Marcondes, já que ele pode ter sido assassinado ou cometido suicídio.
Soldado Rafael Carvalho Alves Pinheiro
18 de maio
O soldado Rafael Carvalho Alves Pinheiro, que era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Formiga, foi baleado e morreu durante tentativa de assalto, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. A esposa do PM, identificada como Patrícia Marques Ribeiro de Melo Pinheiro, também ficou ferida na ação criminosa. Ela foi atingida nas costas, enquanto ele foi baleado no peito, no pescoço e na mão. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O PM ainda ficou quatro dias internado, mas não resistiu aos ferimentos.

Soldado João Vitor da Silva Pereira
19 de maio 
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o soldado João Vitor da Silva Pereira, 31 anos, morreu após ser baleado durante uma troca de tiros na Favela do Lixão, no Centro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele realizava patrulhamento de rotina e passava pela Rua Manoel Teles quando, em frente a um dos acessos à favela, a viatura foi atacada. Ele e o colega de farda desceram do veículo para se abrigar, ele foi atingido. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Dr Moacyr Rodrigues do Carmo, no bairro Parque Beira-Mar, mas não resistiu.
Cabo Daniel dos Santos e Silva
27 de Maio
O cabo Daniel dos Santos e Silva, lotado na UPP Rocinha foi morto por criminosos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Daniel buscava um balão com amigos, quando se depararam com criminosos na comunidade do Roseiral. O PM foi a única vítima dos traficantes. O restante do grupo foi liberado. Policiais do 39º BPM (Belford Roxo) chegaram a resgatá-lo e o levaram para o Hospital Saracuruna, mas o PM não resistiu aos ferimentos dos disparos recebidos.


O sargento Rubens Nei Bernardo Venceslau
1 de junho
O sargento Rubens Nei Bernardo Venceslau, 44 anos, Lotado no Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), morreu após ser baleado durante um assalto, no bairro Rocha, na Zona Norte do Rio. Os criminosos abordaram o PM na Rua do Rocha e fugiram levando a moto do sargento, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

Cabo Gláucio Luiz Gonçalves Carvalho
2 de junho
Lotado no 11º BPM (Nova Friburgo), o cabo Gláucio Luiz Gonçalves Carvalho, 31 anos, morreu após ser baleado ao tentar impedir um assalto, em Bom Jardim, na Região Serrana do Rio.

Cabo Thiago Araújo Cardoso

10 de junho
Lotado no 17° BPM (Ilha do Governador), o cabo Thiago Araújo Cardoso de Sá foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Os criminosos o abordaram na Avenida Edgard Romero, próximo à estação BRT Otaviano. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele permaneceu internado durante dois dias mas não resistiu aos ferimentos.

Soldado Caio Fernando Guimarães Netto
14 de junho
O soldado Caio Fernando Guimarães Netto, lotado no 16° BPM (Olaria), o foi assassinado na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. O corpo dele foi encontrado na Estrada de Tubiacanga, ao lado do posto do Detran. A Polícia apura a denúncia de que o PM foi baleado e morto no Morro do Barbante e a mando do chefe do tráfico local, teve seu corpo jogado fora da favela. O soldado ainda teria conseguido atirar e matar dois traficantes antes de ser executado.

Sargento Milton Carlos Alves de Oliveira
15 de junho 
Lotado no Centro de Fisiatria e Recuperação da Polícia Militar (CFRPM), o sargento Milton Carlos Alves de Oliveira, 55 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. O PM passava pela Rua Santo Amaro, próximo à Praça Passa Tempo, quando foi abordado pelos criminosos – que fugiram levando a arma e o carro do sargento. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.
Cabo Ewerton Hudson Bispo da Rocha
17 de junho
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do São Carlos, o cabo Ewerton Hudson Bispo da Rocha, 37 anos, morreu após ser baleado durante um assalto, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM parou em uma padaria próximo à sua residência para tomar café, na Rua Antônio Félix, no bairro Nossa Senhora de Fátima, quando três homens armados entraram no estabelecimento e anunciaram um assalto. O cabo Bispo reagiu e chegou a entrar em luta corporal com um deles, mas acabou baleado por um dos comparsas do bandido. Os criminosos fugiram levando a arma do PM. No local foram arrecadados dois carregadores de pistola sem munições.

Sargento Márcio Rodrigues de Castro
29 de junho
Lotado no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), o sargento Márcio Rodrigues de Castro, 44 anos, morreu após ser baleado durante assalto na Avenida Teixeira de Castro, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu.
Rafael Cássio Campos de Abreu
30 de junho
Lotado no 24º BPM (Queimados), o cabo Rafael Cássio Campos de Abreu foi assassinado a tiros e teve seu corpo incendiado, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM estava no porta-malas de um Hyundai prata na Estrada de Urucânia, próximo à linha férrea.


Cabo Leandro Nascimento Thasmerão

1 de julho
O cabo Leandro Nascimento Thasmerão, de 35 anos, que era lotado no 31º BPM (Barra da Tijuca), morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, na Rua Maria Antônia, no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio.

Sargento Olivar Teixeira dos Santos
2 de julho
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Olivar Teixeira dos Santos, 42 anos, morreu após ser baleado durante patrulha no Morro Vai Quem Quer, no bairro Vila São Judas Tadeu, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM chegou a ser levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, mas não resistiu aos ferimentos. Ele estava na corporação desde 1998 e deixou esposa e filhos.

Sargento Hélio Cardoso Fonseca
6 de julho 
O sargento Hélio Cardoso Fonseca, lotado no 34° BPM (Magé), foi baleado durante um ataque a viatura em que ele estava em Piabetá, em Magé, na Baixada Fluminense. O PMs, que trabalham no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), passava próximo à estação de trem quando foi surpreendido por um homem que disparou contra o veículo. Atingido na cabeça, o sargento Cardoso foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Piabetá, mas não resistiu ao ferimento.
Cabo Cléber de Castro Xavier
14 de julho
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o cabo Cléber de Castro Xavier, 28 anos, morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, no Grajaú, na Zona Norte do Rio. Antes de ser ferido por três tiros – no braço, abdômen e tórax – o cabo Xavier ainda conseguiu atingir um dos bandidos, que morreu ainda no local. O policial foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Cabo Bruno dos Santos Oliveira
17 de julho 
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o cabo Bruno dos Santos Oliveira, 29 anos, foi baleado durante um ataque de criminosos no Morro da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O militar estava em um van com outros agentes e chegavam para rendição na base avançada na localidade conhecida como Telégrafos quando o veículo foi atacado a tiros. O cabo Santos – transferido da UPP Nova Brasília e em seu primeiro dia de serviço na Mangueira – foi atingido na cabeça. Socorrido, foi levado para o Hospital Quinta D’Or, mas não resistiu. Há seis anos na corporação, o cabo deixou esposa, uma filha e dois enteados.
Soldado Thiago Marzula de Abreu
17 de julho
O soldado Thiago Marzula de Abreu, 30 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos, no bairro Jóquei, em São Gonçalo. Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado Marzula tinha acabado de retornar da licença paternidade e deixa esposa e um bebê de pouco mais de um mês de vida. Ele estava na viatura e trafegava no bairro quando foi atacado. Os bandidos efetuaram diversos disparos contra os PMs, atingindo Marzula na cabeça.

Soldado Fabiano de Brito e Silva
21 de julho
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Fabiano de Brito e Silva, 35 anos, seguia para o batalhão quando foi baleado ao reagir a assalto na Rua Clara de Araújo, no bairro Jardim Tropical, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu. Ele deixa esposa e três filhas.

Sargento Hudson Silva de Araújo
23 de julho
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vidigal, o sargento Hudson Silva de Araújo, 46 anos, morreu após ser baleado durante ataque no morro localizado em São Conrado, na Zona Sul do Rio. O PM, que trabalhava na Supervisão de Graduados, passava pela localidade conhecida como Bar do Marcelo quando foi atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu. O sargento Hudson tinha 15 anos na corporação. Ele deixa esposa e duas filhas.
Subtenente reformado William dos Santos Pinto
29 de julho 
O subtenente reformado da PM William dos Santos Pinto, 54 anos, foi assassinado no Morro do Cruzeiro, no bairro Porto Novo, em São Gonçalo. Morador do local, o PM estava no bar de sua propriedade, quando criminosos passaram efetuando diversos disparos. O militar foi atingido nas costas. A arma dele – uma pistola 380- não foi levada.

Sargento Márcio Thomé Ribeiro
4 de agosto 
Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), o sargento Márcio Thomé Ribeiro, 43 anos, morreu após ser baleado na Rua Bernardo de Vasconcelos, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O PM conduzia seu Corolla e estava acompanhado por uma jovem, que também morreu.
Cabo Silvio César Lopes da Silva
9 de agosto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o cabo Silvio César Lopes da Silva, 39 anos, morreu após ser baleado ao sair de uma festa em que comemorava o aniversário da esposa, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio. O PM estava com sua família na Rua Vila Nova quando criminosos anunciaram o assalto. O policial reagiu e trocou tiros com os bandidos. Atingido, o cabo foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo. Ele não resistiu aos ferimentos.


Soldado Samir da Silva Oliveira
11 de agosto
O soldado da Polícia Militar, lotado na UPP São João, Samir da Silva Oliveira, de 36 anos, morreu após ser baleado, na Rua 24 de maio, em frente à estação Silva Freire, no Méier, Zona Norte do Rio. Samir voltava para batalhão do Méier quando tentou abordar um carro. Ainda segundo a corporação, os ocupantes atiraram e o soldado foi atingido no rosto. Ele foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho.

Cabo Elisângela Bessa Cordeiro
12 de agosto 
Lotada no 5° BPM (Praça Harmonia), a cabo Elisângela Bessa Cordeiro, 42 anos, morreu após ser baleada durante um assalto, em Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. A PM trafegava em seu Fox vermelho acompanhada pelo marido pela Avenida Brasil quando, na altura da Avenida Pastor Martin Luther King, foi abordada por criminosos. Ela entregou o carro mas no momento em que um dos assaltantes tentou tirar sua aliança ela reagiu e acabou baleada após levar uma coronhada na cabeça. Socorrida, a cabo Elisângela ainda foi levada para o hospital mas não resistiu aos ferimentos.
Soldado Vaine Luiz dos Santos Ferreira
12 de agosto 
O soldado Vaine Luiz dos Santos Ferreira, 33 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, morreu após ser baleado durante discussão com seu cunhado – um guarda municipal -, no bairro Olinda, em Nilópolis, na Baixada Fluminense.
Cabo Thiago Rodriguez da Silva
22 de agosto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras e cedido ao Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o cabo Thiago Rodriguez da Silva, 32 anos, foi assassinado em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava há seis anos na corporação. O PM estava saindo de casa quando foi abordado por criminosos que o levaram eu seu próprio carro. O corpo do cabo R. Silva foi encontrado minutos depois dentro de seu veículo.
Subtenente Mabel Machado Sampaio Neto
24 de agosto 
Lotado no Centro de Manutenção de Material (CMM), o subtenente Mabel Machado Sampaio Neto, 50 anos, morreu após ser surpreendido por um criminoso no momento em que chegava em casa, no bairro Porto da Madama, em São Gonçalo. O PM tinha acabado de entrar na garagem de sua residência, na Rua Agenor Ribeiro, quando um bandido armado se aproveitou da porta aberta e entrou. O policial ainda foi socorrido e levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo, no Zé Garoto, mas não resistiu.
Sargento Fabio José Cavalcante e Sá
26 de agosto
PM foi baleado em tentativa de assalto próximo ao Largo do Guedes, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele chegou a ser levado para a UPA da Nilo Peçanha, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos.


 

Saiba quem são os policiais mortos no Estado do Rio em 2017 Reviewed by DestakNews Brasil on 01:10 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.