AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Mulheres não aceitam receber cantadas de conotação sexual

18/08/2017

Pesquisa online mostra que 63% das entrevistadas consideram machista esse tipo de flerte

O Tempo

A artista Débora Guimarães traz na memória a marca de uma cantada na adolescência

Todos os dias, mulheres são obrigadas a lidar com comentários de teor obsceno, olhares, intimidações e importunações de cunho sexual. Eles apresentam-se de várias formas e são entendidos pelo senso comum como elogios, brincadeiras ou características imutáveis da vida em sociedade. Mas, na verdade, nada disso está sendo visto como normal ou aceitável.

Uma pesquisa online divulgada nesta semana traz um alerta aos homens brasileiros que adoram caprichar na hora da cantada: a maior parte do público feminino do país – 63% das entrevistadas – não aceita comentários com conotação sexual no momento da paquera. Essa

tática pode comprometer qualquer chance de se começar uma conversa com o sexo oposto.
O levantamento foi feito pela empresa Match Group LatAm, responsável por sites de relacionamento na internet, com 1.358 mulheres de todo o país. O intuito era descobrir quais cantadas são apontadas por elas como machistas e que podem acabar causando o efeito contrário do desejado pelo sexo masculino.

Outros pontos importantes foram identificados: 15% das entrevistadas odeiam que os homens falem de qualquer parte do corpo delas. Além disso, 12% delas desaprovam abordagens que brincam com o visual e 10% não admitem piadas com algum tipo de estereótipo.

Conceitos diferentes. A psicóloga Débora Oliveira explica a diferença entre o conceito de paquera e assédio sexual. “Uma paquera acontece com consentimento de ambas as partes. É uma tentativa legítima de criar uma conexão com alguém que você conhece e estima. O assédio sexual é uma manifestação alheia à vontade da pessoa a quem se dirige. Inclui abordagens grosseiras, ofensas e propostas inadequadas que constrangem, humilham, amedrontam” diz.
Para a psicóloga, a paquera não pode causar medo nem angústia. “Deve ser um momento de prazer. O mais importante é buscar o consentimento do outro e, se não acontecer, saber aceitar “não” como resposta”, afirma. Débora avalia, ainda, que cantada e assédio físico não são um meio de se criar intimidade com alguém.

Constrangimento. A artista Débora Guimarães, 35, já sentiu na pele ser abordada por um estranho sem consentimento. “São várias vezes durante a vida, mas sempre tem aquela que nos marca. Eu era adolescente. Um dia, saí da escola acompanhada de dois amigos. Um homem nos seguiu e começou a falar coisas nojentas como “gostosa” e “delícia”. Os meninos nem reagiram. Virei para trás e comecei a xingar o cara”, conta.
A artista fala que o homem a desmentiu. “Ele me chamava de louca, que não estava me assediando. Depois, foi embora, ainda reclamando”, conta.

Para Masra de Abreu, assessora técnica da ONG Centro Feminista de Estudo e Assessoria (Cfemea), de Brasília, o resultado do levantamento indica que as mulheres não admitem ser tratadas de qualquer maneira.




A matéria continua após à publicidade.

“A chance de o homem pensar que a mulher está disposta a fazer qualquer coisa ou a ser o que ele quiser é grande. Mas a pesquisa mostra exatamente o contrário”, aponta.

No trabalho. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), 53% das mulheres do mundo inteiro já sofreram algum tipo de assédio sexual, seja ele verbal ou físico.


Minientrevista

Débora Oliveira
Psicóloga

Por que o assédio sexual deve ser denunciado?
Dizer não ao assédio é não aceitar mais que mulheres sejam vistas como objetos sexuais passivos ou como vítimas frágeis do poder dos homens. Dizer não ao assédio é afirmar que as mulheres podem e devem ter controle sobre a própria sexualidade.

Quais são as consequências do assédio?
Entre os efeitos negativos relatados pelas vítimas, os mais citados são: ansiedade, depressão, perda ou ganho de peso, dores de cabeça, estresse e distúrbios do sono.

Qual é a raiz do problema?
O que está por trás do assédio não é uma vontade de fazer um elogio. Na verdade, esse comportamento é principalmente uma tentativa de demonstrar poder e de intimidar a mulher.

Qual a gravidade social?
O sujeito que assedia uma mulher, seja na rua ou na internet, jamais quer ouvir a opinião da outra parte. Ele quer apenas se impor sobre ela, tentar mostrar um possível domínio.
Mulheres não aceitam receber cantadas de conotação sexual Reviewed by DestakNews Brasil on 10:49 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.