AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Freelance estão em alta, saiba mais

06/08/2017

Com 25 mil autônomos cadastrados, plataforma de trabalho freelance aponta quais são os profissionais mais procurados no Rio

O Dia


O designer Jadson Douglas concilia os frilas com o emprego formal arquivo pessoal

 

Em março deste ano, a empresa de tecnologia onde o programador Renzo Correia trabalhava fechou as portas. Hoje, ele atua como freelancer num escritório montado dentro da própria casa e teve aumento de até 50% na remuneração. O designer Jadson Douglas Silva concilia o emprego formal com atividades profissionais tratadas diretamente com clientes. Professora de Língua Portuguesa em uma escola da rede estadual, Daniela Reis Freitas garante o complemento de renda fazendo revisão de textos.

São casos de profissionais autônomos, que encontraram uma forma de garantir um uma remuneração alternativa em meio à crise. E ilustram um cenário retratado em um levantamento feito pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, que apontou quais são os profissionais mais procurados pelas empresas para esse tipo de serviço no Rio. De acordo com o estudo, mais de 90% dos profissionais procurados na cidade atuam com tradução e conteúdos, design e programação.

A matéria continua após à publicidade.

No Rio, a plataforma contava com 13.700 profissionais cadastrados em 2016. Nos seis primeiros meses deste ano, já são 25 mil pessoas à procura de uma renda extra. Na América Latina, a atividade freelancing cresceu 181%, ainda segundo o estudo. E a tendência é que o crescimento continue. “Os profissionais vêm encontrando no trabalho freelance uma oportunidade de ampliar sua atuação profissional, além de obter uma renda extra”, explica Guillermo Bracciaforte, cofundador da plataforma.

A professora Daniele Reis Freitas faz revisão de textos em casa arquivo pessoal

Os profissionais cadastrados endossam o discurso. “Decidi trabalhar só como freelancer, evitando o trânsito e a violência carioca. Posso trabalhar em casa, no horário que eu quiser. Acordo todos os dias às 8h, tomo café e me visto, como se fosse para o escritório. Mas faço o trabalho em casa. Está dando certo”, avalia Renzo Correia, de 27 anos, citado no começo da reportagem.
O designer Jadson Douglas Silva, 29, vê um acréscimo na atividade profissional fora do emprego formal. “Consigo ter uma visão mais ampla do mercado”, diz. A professora de Português Daniele Reis Freitas, de 35 anos, aposta na oportunidade para diversificar as suas atividades profissionais. “A carga horária do professor é definida por turno. Isso facilita. Gosto de dar aula, mas não quero só fazer isso”, explica a professora, que também revisa textos para blogs, sites e trabalhos acadêmicos.

 

Freelance estão em alta, saiba mais Reviewed by DestakNews Brasil on 23:25 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.