A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) e as entidades sindicais que representam servidoras e servidores públicos municipais, estaduais e federais lançaram nesta segunda-feira (28) a Campanha em Defesa dos Serviços e dos Servidores Públicos. 
Representantes dos sindicatos reforçaram a necessidade de alertar a população sobre as consequências das diversas privatizações propostas pelo governo federal na última semana.
A presidente da CUT/MG e coordenadora geral do Sindicato ùnico dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute/MG), Beatriz Cerqueira, afirmou que o sucateamento dos serviços públicos é parte de uma estratégia para justificar o repasse à iniciativa privada.
"A população não compreende a privatização e o impacto em sua vida. Hoje, a ideia é de que o público é ineficiente, mas essa não é a realidade", disse Beatriz.
Nesse contexto, o setor de educação é o que tem a situação mais grave. Para a coordenadora geral do Sindifes, Cristina Dele Papa, a interrupção do repasse de verbas para as universidades federais pode inviabilizar o funcionamento delas até o fim deste ano.

A matéria continua após à publicidade.