Dois jogos consecutivos sem balançar as redes jogando em casa. Esta é realidade do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, após o encerramento da 19ª rodada, a última do primeiro turno. 


Neste domingo (6), apesar de sufocar o Botafogo e mostrar seu poderio ofensivo, a Raposa repetiu o 0 a 0 contra o Vitória e não conseguiu transformar as oportunidades em gols.  
Com o resultado, a equipe comandada por Mano Menezes perdeu a oportunidade de terminar a rodada  na quinta colocação, já que chegaria aos 29 pontos - a mesma pontuação do Flamengo, e ultrapassar o rubro-negro em número de vitórias.
"Procuramos o resultado, fazer o gol desde o ínicio, agredimos o adversário, criamos várias oportunidades, mas vivemos aquele dia em que a bola não entra. Estamos buscando o equilíbrio para avançar na tabela, que é o nosso objeitvo. Estamos procurando uma sequência de vitórias e estamos no caminho certo para isso", comentou o zagueiro Léo.
No próximo domingo (13), o time encara o São Paulo, no Morumbi. O duelo abrirá a segunda rodada da competição mais importante do país.

Primeiro Tempo
No primeiro tempo, uma goleada da Raposa em números de finalizações. Para se ter ideia do volume de jogo apresentado pelos dosnos da casa, foram 10 conta apenas uma do time da Estrela Solitária. Destas, quatro levaram perigo à meta do alvinegro e nenhuma ao goleiro Fábio.
Apesar do ímpeto, o Cruzeiro não conseguiu transformar as chances em gol. Com isso, o placar do Mineirão permaneceu inalterado nos 45 minutos iniciais do duelo. Destaque, mais uma vez, para o atacante Sassá. Aposta de Mano Menezes para dar mais velocidade ao setor ofensivo, o camisa 99 bagunçou a defesa do ex-clube e deu muito trabalho.
Segundo Tempo
Na volta do intervalo, o Cruzeiro seguiu buscando abrir o placar no Gigante da Pampulha. Mantendo a tônica de agressividade do primeiro tempo, os comandados de Menezes, desde os primeiros minutos, pressionaram e muito o adversário.
O Botafogo, por sua vez, parecia não se abalar com tanta pressão. Tentando colocar a bola no chão e chegar ao ataque com passes curtos, o time de Jair Ventura explorava os contra-ataques com muita velocidade. Na frente, a bola alçada na área também era opção para abrir o marcado, assim como dificultar a saída de bola dos donos da casa.

A matéria continua após à publicidade.