A BHTrans apresentou para os taxistas da capital, nesta quinta-feira (13), um táxi movido a energia elétrica, cuja emissão de poluentes para a atmosfera é zero. Mas antes de o veículo começar a ser usado efetivamente na cidade, um carro será colocado em circulação por 30 dias e testado por vários motoristas. Somente depois disso, será possível avaliar com maior precisão o custo de energia do táxi elétrico, mas ainda não há previsão para o início dos testes.
O veículo homologado pela BHTrans é o modelo e6, produzido pela empresa chinesa BYD. Ele é 100% movido a eletricidade por meio de uma bateria recarregável, que pode render uma autonomia de até 400km, se for usado no modo econômico – ou seja, com 110 cavalos, a mesma potência de um carro 1.0 tradicional.
“A princípio, a iniciativa é boa pois traz benefícios para o taxista e para o meio ambiente”, afirma João Paulo de Castro, vice-presidente do Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir).

A matéria continua após à publicidade.