O Atlético do técnico Roger Machado "gosta" de repetir roteiros. 

Hoje em Dia


Ganha fora, perde em casa. Encerrando um período de 15 anos de invencibilidade, o Galo perdeu para o Bahia por 2 a 0 na noite desta quarta-feira (19), no Horto, pela 15ª rodada do Brasileirão. Jamais o time alvinegro perdeu tantos pontos no Independência pelo torneio de pontos corridos. Já são 16, e contando....
Desde 2002, o Galo  não sabia o que era perder para o tricolor de Salvador. Conseguiu nesta quarta, e de maneira vergonhosa, na visão da torcida. Primeiro, sofreu gol de pênalti. Depois, viu Jean parar quatro chutes à queima-roupa e o mesmo Juninho, que fez o gol de pênalti, decretou as vaias, xingamentos e revolta da Massa ao acertar um lindo chute de fora da área.

OUTRO PÊNALTI E TRAVE SALVA

Quando o atacante Fred erra dois gols praticamente na pequena área, com muito mérito do goleiro adversário, é que o jogo do Atlético será contado por elementos atípicos. Mas não foi o que aconteceu no primeiro tempo no Independência. Acontecimentos já contumaz para o Galo no Brasileirão foram observados,
Primeiro, o ataque cansava de cruzar bolas na área, com o Bahia povoando o meio de campo e só dando espaço para os pontas, principalmente Marlone. Só que o time de Salvador também atacava na velocidade do meia Zé Rafael e o armador Vinícius.
Num lance de bola aérea defensiva para o Atlético, a bola foi mal afastada por Fred, Zé Rafael fingiu que iria chutar, cortou o camisa 9 e foi atingido pelo atacante. Mais um pênalti contra o Galo no Brasileirão, que detém uma média de dar "inveja": sete em 15 rodadas.

A matéria continua após à publicidade.