A facilidade de encontrar rotas de fuga tem levado ladrões a banco a atuar fortemente no interior de Minas. Em apenas nove dias, seis ataques a caixas eletrônicos e instituições financeiras foram registrados no Estado, sendo quatro deles em cidades das regiões Norte e Alto Paranaíba. 
Em Grão Mogol, município cortado pela BR-251 que liga Minas à Bahia, agências do Bradesco e dos Correios foram completamente destruídas com explosivos, em uma ação coordenada por uma quadrilha de cinco integrantes durante a madrugada de ontem. 
Em Coromandel, no Alto Paranaíba, que é cruzada pela BR-352, que liga o Estado à Goiás, outra agência bancária também foi alvo de explosões. Dessa vez, um grupo de cerca de dez criminosos explodiu caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal. O bando ainda trocou tiros com a polícia antes de fugir.
O rastro de destruição não tem trazido apenas prejuízo material, mas também levado embora o sossego que há pouco tempo reinava soberano nas localidades. Em Santa Margarida, na Zona da Mata, onde um banco foi roubado, moradores mantidos reféns e duas pessoas assassinadas, há oito dias, o pânico ainda perturba a população.
O vice-prefeito da cidade, Ilbnele Santana, explica que a maioria dos 16 mil habitantes evita até mesmo tocar no assunto. Eles temem que moradores possam estar envolvidos com a quadrilha que protagonizou o crime mais impactante da história do município.


A matéria continua após à publicidade.