O Atlético começou na técnica, terminou na raça e superação; e conseguiu sair na frente na disputa contra o Botafogo pelas quartas de final da Copa do Brasil. 


No Independência, com gol de Cazares, o Galo venceu os cariocas por 1 a 0 nos primeiros 90 minutos da disputa, realizados nesta quinta-feira (29).
O alvinegro bem que poderia ter saído de campo com uma vantagem maior. Entretanto, o atacante Fred estava em noite de apagão, tendo perdido chances e sido expulso. Com um a menos, o Atlético mostrou um jogo defensivo bem sólido e saiu de campo irritado com a atuação do árbitro Dewson Freitas, que ficará na boca da torcida por muito tempo.

O JOGO
Com um ataque bastante qualificado, tendo Luan como titular pela segunda vez no ano, o Atlético foi para dentro do Botafogo no começo do jogo, como lhe é de costume nos jogos decisivos no Independência.

A equipe carioca, tentando povoar o meio de campo, acabou deixando a cobertura dos laterais em segundo plano, abrindo vantagem para um inspirado Robinho (coisa rara em 2017) desfrutar da noite em alta. Foi dele a jogada do gol, logo aos sete minutos.
Recebeu livre na esquerda, esperou o momento certo de infiltração de Cazares. Serviu o equatoriano que no domínio já ganhou da marcação e ficou na cara de Gatito Fernándes. Foi só rolar no canto e correr para o abraço.
Parecia que o Atlético seria mais um time das oitavas da Copa do Brasil a fazer gols em série no primeiro jogo. Mas o atacante Fred não deixou. Errou duas chances claras. A primeira em um cruzamento cirúrgico de Cazares na esquerda. O camisa 9 cabeceou quase na pequena área, mas errou a mira. Bola para tiro de meta.
Depois, receberia com açúcar e afeto de Luan, após mais um contra-ataque puxado por Cazares. Mas erraria a força do chute, isolando mais uma oportunidade. O artilheiro atleticano, inclusive, fechou o primeiro tempo batendo e apanhando, recebendo amarelo e caíndo no gramado por duas vezes para receber atendimento médico.
O Botafogo, apesar de se preciptar em quase todas as tentativas de ataque, principalmente nos impedimentos e passes errados do centroavante Roger, chegou a criar uma jogada de quase empate. Victor Luis penetrou na esquerda e cruzou rasteiro. Léo Silva não alcançou, a bola passou por Victor, mas Fabio Santos conseguiu afastar o perigo.
FECHADO NO 2º TEMPO
A etapa complementar começou abaixo do esperado para o Atlético. Com  menos ímpeto, o Galo era mais atacado pelo Botafogo do que agredia o adversário. A bola não chegava em Fred. Mas não foi por isso que o jogador teve destaque negativo no jogo. Ele, amarelado, foi expulso após chegar atrasado em dividida.

O matador deixou o gramado esbravejando. Reclamou com o 4º árbitro Igor Junio Benevenuto (que o expulsou no clássico da primeira fase do Mineiro), saiu xingando para a câmera de TV, gesticulou para a equipe de apoio do Galo acima dos vestiários e deu um murro na porta do vestiário.
Com um a menos, o Galo se fechou atrás. Renovou o fôlego das pontas com Otero e colocou Rafael Moura no lugar de Robinho. Neste momento, a arbitragem foi alvo e muitas vaias e xingamentos da torcida, principalmente por novos cartões aplicadosw a jogadores do Galo.
O Atlético tentava armar contra-ataques, mas Cazares desapareceu totalmente do jogo e Rafael Moura não tinha a velocidade necessária. Enquanto isso, o Botafogo errava fundamentos básicos e não achava espaço na bem postada zaga com Gabriel e Léo Silva e os laterais totalmente presos. Quando conseguiu uma chance clara, foi num escorregão de Gabriel, a bola sobrou livre para Roger, mas ele demorou a chutar e foi desarmado.
Quando Cazares voltou a aparecer, Otero sofreu falta e cobrou para Rafael Moura ter a chance de ampliar o placar. Mas Gatito Fernández justificou o apelido e fez um verdadeiro milagre do Horto.
O Galo conseguiu segurar a vantagem mesmo com 10 homens. Mas foi novamente atingido pela arbitragem ao ter o técnico Roger Machado expulso de campo por reclamar de cartão amarelo não aplicado no jogador do Botafogo.
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 1X0 BOTAFOGO

Atlético: Victor; Yago, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca e Elias; Luan (Otero), Cazares (Danilo) e Robinho (Rafael Moura); Fred. Técnico: Roger Machado
Botafogo: Gatito Fernández; Emerson, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Fernandes), e João Paulo; Bruno Silva, Camilo (Guilherme) e Rodrigo Pimpão; Roger (Vinícius). Técnico: Jair Ventura
Gol: Cazares, aos 7'/1ºT
Arbitragem: Dewson Freitas (PA); auxiliado por Kleber Lucio Gil (SC) e Bruno Boschilla (PR)
Cartões amarelos: Fred e Rafael Moura (CAM); Emerson Silva (BOT)
Cartão vermelho: Fred, aos 10'/2ºT e Roger Machado, aos 48'/2ºT (CAM)
Público: 19.871 torcedores
Renda: R$ 533.386,00