O presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Domingos Sávio, diz que grampos feitos pelo emrpesário Joesley Batista parecem “armação” pois foram gravadas conversas apenas com o senador afastado Aécio Neves, do mesmo partido, e com o presidente Michel Temer (PMDB).

Hoje em Dia
Deputado mineiro Domingos Sávio
 
Segundo ele, o ex-presidente Lula (PT), alvo de delação premiada de Batista, não foi grampeado, o que não demonstra a imparcialidade da operação. “Está saltando aos olhos: é armação”. “Joesley gravou o presidente e gravou o Aécio. E o Lula, por que não gravou? E a Dilma?”, indaga.

Ele ainda quesiotna o motivo pelo qual os petistas não foram alvos de mandados na operação que levou para a cadeia a irmã de Aécio, Andrea Neves, e afastou o senador das atribuições.

“Não diminuo a responsabilidade dos envolvidos, mas começamos a ter algumas indagações sobre a forma como tem sido conduzido, especialmente por parte da Procuradoria-Geral da República”, completa.

O PSDB mineiro não tomará decisão sobre o desembarque do governo Temer. Irá esperar pelo posicionamento da direção nacional da legenda, que deve sair amanhã.