AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) tentam resgatar presos em presídio do Ceará

11/05/2017
O líder do sequestro de Dom Aloísio Lorscheider, em 1994, voltou ao Ceará para mais um crime ousado
 

 Foto: Em 1994 o criminoso rendeu o cardeal com uma faca e fez exigências para fugir (Luciano Arruda )

Oito homens, supostamente vinculados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), foram presos em duas ações, nesta terça-feira (09). Segundo informações da Polícia Militar, um dos detidos é Antônio Carlos Souza Barbosa, o 'Carioca', líder do sequestro ao ex-arcebispo de Fortaleza, dom Aloísio Lorscheider, em 1994.

Segundo o coronel Aginaldo Oliveira, do Comando de Policiamento Especializado (CPE), o grupo estava planejando um resgate de detentos. Um oficial da Polícia Militar, que pediu para não ser identificado, afirmou que a Penitenciária alvo seria a Casa de Privação Provisória de
Liberdade Professor José Jucá Neto (CPPL III), onde estão confinadosmembros do PCC.





O sequestrador esteve preso em Presidente Venceslau, São Paulo, uma das
prisões mais seguras do País



O coronel Aginaldo acrescentou que órgãos de Inteligência da Secretaria da Segurança tomaram ciência da articulação do bando há poucos dias e, ao receberem a informação que o grupo iria agir durante a madrugada, destacaram equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) para
cercar as duas residências, localizadas no bairro Quintino Cunha, ZonaOeste da Capital, onde os homens estavam reunidos com armamentos.

Com a chegada da PM, foram capturadas cinco pessoas, dentre elas 'Carioca'. Não houve reação. Além de Antônio de Carlos, não foi revelada a identidade dos demais suspeitos e se eles seriam do Estado de São Paulo. Na casa, foram apreendidas uma espingarda Winchester calibre 38 e
uma pistola ponto 40. Em sequência, na manhã de ontem, outros três homens foram detidos por
equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Anel Viário em Maracanaú, durante uma abordagem de rotina. Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Stênio Pires, o local é rota de fuga, onde ocorrem muitas ações criminosas, e as equipes estavam lá justamente para inibir esse tipo de ação. Segundo uma fonte da PM, que preferiu não se identificar, o trio capturado pela PRF é vinculado ao grupo preso no Quintino Cunha.

Os três homens estariam próximo ao local da primeira abordagem; entretanto, ao perceberem a movimentação das equipes do BPChoque, conseguiram fugir em um veículo Fiat Palio, alugado. Pela manhã, acabaram localizados pela PRF.

Um dos presos, de 19 anos, era foragido de uma CPPL e tinha um mandado de prisão em aberto. Também foram apreendidos um fuzil calibre 5.56, duas pistolas e dois revólveres. Segundo a PRF, o trio admitiu ser membro do PCC.

O superintendente da Polícia Federal, Delano Cerqueira Bunn, afirma que as investigações continuam. "Outras investigações estão em curso. Os dados obtidos com as prisões serão cruzados com outras áreas de Inteligência da Polícia e chegaremos a novas conclusões", declarou. A Delegacia de Repressão a Crimes Patrimoniais ficará responsável pelas investigações.

Questionado sobre a existência de uma ordem dada pelo líder do PCC, 'Marcola', para a realização do resgate, Delano Bunn disse que "não poder revelar nenhuma informação dessa seara para não causar nenhum tipo de instabilidade".


Sequestro:

Antônio Carlos Souza Barbosa, natural de Fortaleza, nasceu em 1967. Entrou no crime poucos meses após completar 18 anos, de acordo com registros oficiais. Em dezembro de 1985 dava entrada, pela primeira vez, no IPPOO. Em 1986, foi posto em liberdade, mas em novembro de 1993 voltava para a prisão devido ao cometimento de um sequestro. Quatro meses após, cometeria o crime que daria a ele visibilidade internacional. No dia 15 de março de 1994, sob a liderança de 'Carioca', 14 detentos doInstituto Penal Paulo Sarasate (IPPS) se rebelaram, fizeram 13 pessoas reféns, incluindo Dom Aloísio, e horas depois fugiram da Penitenciária.


Além das quatro pessoas detidas pela PM, junto com 'Carioca,' no Quintino Cunha, a PRF prendeu outros três membros do bando, no Anel Viário de Maracanaú Por volta das 10h45min, 'Carioca' imobilizou com uma faca o cardeal, que estava no presídio para uma visita pastoral. Outros dois detentos dominaram os bispos auxiliares, Dom Edmilson Cruz e Dom Geraldo Barbosa, e o então vigário Episcopal de Fortaleza, Dom Aldo Pagotto, além do então coordenador do Sistema Penal do Estado, Raimundo Brandão. Após os primeiros reféns, foram desencadeadas novas ações, que resultaram em umterror generalizado.

Membros do movimento de Direitos Humanos, a coordenadora da Pastoral Carcerária, Eunísia Barroso, e a jornalista do Diário do Nordeste, Erilene Firmino, também foram mantidos sob o domínio dos detentos. Nas negociações, os presos exigiam um furgão, 10 rifles e 10 revólveres.
No final da noite, o furgão saiu do IPPS com 26 pessoas seguindo para Ibaretama, onde ficava o sítio dos pais de um dos detentos. As vítimas ficaram mais de 20 horas em poder dos rebelados. Os presos saíram do IPPS às 23h15min e só liberaram os reféns às 06h00 horas da manhã. No total, dois detentos morreram e um soldado ficou ferido. 'Carioca' foi recapturado nove dias após a fuga. Foi condenado pela 2ª Vara da Comarca de Aquiraz a sete anos e seis meses de reclusão. Dois anos depois, estava à frente de outra rebelião. Entre punições e transferências, acabou indo para São Paulo, onde tem um mandado de prisão em aberto. Segundo o coronel Aginaldo Oliveira, o criminoso estava em Fortaleza há cerca de dois meses.


Foragido:

Em novembro de 2016, o Ministério Público fez requerimento ao Juízo das Execuções Criminais da Comarca de São Paulo sobre a quantidade de anos que faltava ser cumprido pelo apenado, que nesta época já estava na condição de foragido, mas o Sistema Penitenciário do Ceará, não tinha
conhecimento disto. A última prisão por onde passou foi a penitenciária Presidente Venceslau, em São Paulo, considerada uma das mais seguras do País. 'Carioca', que usava o nome de Antônio Carlos e Luís Carlos, era tão perigoso que foi transferido para a unidade onde estão criminosos como
'Marcola'. (Colaborou Fabrício Paiva)


Com Informações do Diário do Nordeste
Integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) tentam resgatar presos em presídio do Ceará Reviewed by DestakNews Brasil on 01:36 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.