AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Família denuncia ter sofrido agressão de policiais militares em Campo Belo/MG

23/05/2017
 Polícia diz que houve resistência em abordagem
(Fotos Divulgação/Diário de Campo Belo)

Uma família de Campo Belo está revoltada com a maneira como o pai de 67 anos e o filho de 23 anos teriam sido tratados durante uma abordagem policial ao qual o rapaz foi submetido. De acordo com familiares, Christopher Alves Madalena e o pai Roosevelt Justino Madalena de 67 anos estavam sentados na calçada da residência, entre 16 a 17 horas da última terça-feira (16/05) quando os militares se aproximaram. Iniciaram uma revista, mas, de acordo com os envolvidos teria sido arbitrária. Os militares ordenaram que Christopher abrisse a mão e ele teria obedecido. Nada teria sido encontrado para caracterizar um flagrante. Mesmo assim, o policial o teria contido e dito para que abrisse a boca. Com um suposto golpe, o militar teria rendido o rapaz e o jogado contra o solo. Com o impacto, o mesmo bateu com o rosto no paralelepípedo. Ainda segundo o jovem, a contenção teria continuado e o seu irmão interveio para retirar o policial de cima dele (Christopher). A movimentação continuou e a família fez um cordão humano para proteger o jovem das supostas agressões, já do outro lado da rua. Vendo o filho todo machucado, a mãe pediu para que chamassem a ambulância. Chegou naquele momento um reforço policial de outra viatura e foi nesta etapa que o aposentado (pai do jovem) teria sido agredido.

A situação gerou polêmica com o vídeo divulgado nas redes socais e o comando da Polícia Militar se manifestou. Major disse que os homens (Christopher e o pai) cometeram vários crimes durante a abordagem e foram presos. Alegou que o rapaz é conhecido no meio policial pela prática de vários crimes como homicídio, tráfico de drogas e uso de drogas, além de desacato a policiais e outros crimes. O Major ainda disse que o mesmo portava um objeto semelhante a um cigarro de maconha, motivo da abordagem. Entretanto, ele teria, conforme nota divulgada à imprensa pela polícia, engolido a substância e “desobedeceu a ordem policial de se posicionar de forma a garantir a segurança da equipe, resistiu à busca pessoal, agredindo fisicamente os policiais e os ameaçou”.

Christopher foi transferido nesta sexta para Divinópolis, onde fará um procedimento cirúrgico no osso da face, que teve fratura (Foto Diário de Campo Belo).
 
Familiares e testemunhas que presenciaram a abordagem discordam da maneira como a polícia agiu. Conforme relatou à reportagem, Christopher justifica que estava sentado na esquina de sua casa na companhia do pai conversando no momento em que a viatura se aproximou. “O policial chegou e passou a perna no pescoço dando-me uma tesoura. Ordenou que eu abrisse a mão. Viu que não tinha nada, falou para que eu abrisse a boca e também não encontrou nada. Com os braços imobilizados e ele em cima de mim, me jogou ao solo e meu rosto bateu na calçada. Gritei. Meu irmão tirou ele de cima de mim, pois ele estava esfregando o meu rosto no chão”, detalhou Christopher.

Ele ainda reforçou que a conduta da PM foi arbitrária, pois não havia nenhum objeto com ele passível de prisão. E a atitude de sua família ao fazer um cordão humano foi apenas no sentido de protege-lo para que não ficasse mais ferido. “Eles (policiais) não queriam deixar ninguém chegar perto de mim. A minha família fez uma barreira para que eu não fosse agredido novamente”.

Outro ponto questionado pela família seria a conduta após a imobilização. “Minha mãe estava pedindo para que eles chamassem a ambulância, fizeram o contrário e chamaram reforço policial. “A outra viatura chegou e foi ainda pior. Machucaram meu pai. O vídeo mostra a testemunha que filmava, gritando _ ‘moço solta o velhinho, ele é pai dele! ’ -. Foi revoltante. Eles foram levados para o quartel e somente depois para UPA. Todo machucado, meu irmão ficou 20 minutos dentro da viatura”, contou a irmã Josilaine Ingrid Alves Madalena Ferreira.


Josilaine disse que a família está traumatizada. Ela ainda completou que um dos policiais queria impedir que o seu pai de fizesse corpo delito, foi confusão total na UPA. “Ele disse que meu pai não tinha o direito de fazer o exame, caso contrário, ele seria preso. Ele também nos ameaçou de prisão por desacato, caso fizéssemos o corpo delito no meu pai, que está tomando antibióticos por causa da lesão sofrida na abordagem”.

Roosevelt Justino Madalena de 67 é o aposentado que teria sido agredido. Ele relembra que só teve uma palavra dita pelo policial antes da abordagem ao filho: “o que você tem na mão? ”. Meu filho respondeu –‘nada’! Neste momento começou a tesoura sem chance para meu filho se defender”, afirmou.

De acordo com o advogado Jorge André Oliveira, que fará a defesa do cliente quanto as acusações constadas no BO, o cliente foi denunciado por homicídio, mas inocentado em 2013. Ele também respondeu a um processo por desacato, mas com trânsito julgado (não cabe recurso).

Para a família, nada que justifica a ação constada no vídeo e os relatos das testemunhas da abordagem. “Após a análise completa de tudo que foi colhido: oitava, áudios, fotos, vídeos, nós iremos ingressar com as medidas administrativas, ou seja, providências junto a corregedoria. Nós já apresentamos representação no Ministério Público e ainda iremos propor ação de indenização aos responsáveis”, adiantou uma das irmãs de Christopher.


Versão da Policia Militar.

 Homens cometem vários crimes durante abordagem policial e são presos. 
O Comandante da Polícia Militar de Campo Belo, Major Afonso de Fátima também emitiu nota à imprensa sobre o episódio. Ele confirmou que a PM realizou patrulhamento preventivo pela Rua José de Oliveira Barra, Bairro Vieiras, num local conhecido por várias denúncias de tráfico de drogas, no dia 16 de maio, por volta das 17h40. “Em dado momento os militares depararam com o suspeito, C.A,M, 23 anos e diante da suspeita de que o mesmo portava um cigarro de maconha nas mãos, foi realizada a abordagem ao mesmo.

Diante da situação de fundada suspeita o indivíduo foi abordado, ocasião em que engoliu a substância, bem como desobedeceu a ordem policial de se posicionar de forma a garantir a segurança da equipe, tendo ainda resistido à busca pessoal, vindo a agredir fisicamente os policiais e ameaça-los. Na flagrância dos crimes de desacato, resistência, ameaça e desobediência, o cidadão infrator recebeu voz de prisão, sendo necessário o uso diferenciado da força para contê-lo, dominá-lo e prendê-lo, vindo ele e os militares a caírem no chão, sofrendo ambos, algumas escoriações. Familiares do autor ainda tentaram impedir a prisão e condução dele, empurrando e segurando os militares, bem como outras filmavam a ação policial e proferiam xingamentos, pessoas estas identificadas e qualificadas no Boletim de Ocorrência.
 O pai do autor (R.J.M, 67 anos) também recebeu voz de prisão por impedir a ação policial, lesionando os policiais militares durante a ação. Os policiais e os presos foram encaminhados para a UPA para atendimento médico e confecção dos respectivos relatórios, seguindo posteriormente para a Delegacia de Polícia”, finaliza a nota emitida pelo militar.

Com informações: Diário de Campo Belo
Família denuncia ter sofrido agressão de policiais militares em Campo Belo/MG Reviewed by DestakNews Brasil on 00:44 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.