AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Greve geral: Situação das paralisações desta sexta-feira, 28 de abril

28/04/2017
Centrais sindicais convocam uma greve geral de trabalhadores para esta sexta-feira (28) em um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência que tramitam no Congresso. A greve geral é organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pelas frentes de esquerda Brasil Popular e Povo Sem Medo, que têm participação de diversos movimentos sociais.

 IstoÉ
 
A cidade de São Paulo amanheceu sem transporte de metrô, trens e ônibus urbanos. Barricadas, pneus incendiados e pequenas manifestações atingiram vários pontos da cidade. Desde as primeiras horas da manhã, há lentidão e congestionamentos acima da média na capital paulista. Pode haver paralisações que durem poucas horas até greves que durem o dia inteiro.
Algumas estações das linhas 1-Azul e 5-Lilás do Metrô voltaram a operar, e também um trecho da Linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) retornou às atividades na manhã desta sexta-feira, por volta das 9h.
Os aeroportos de Congonhas e Cumbica operam normalmente, apesar da decisão do Sindicato Nacional do Aeroviários – que administram os check-ins e bagagens – de aderir à greve geral.
Na noite de quarta-feira (26), o governo estadual de São Paulo divulgou uma nota em que afirma ter conseguido uma liminar na Justiça que garante a manutenção do transporte público no Estado. A nota informa que a decisão vale para os transportes metroviário e rodoviário, administrados na região metropolitana pelo Metrô e pela CPTM. A liminar determina que os sindicatos se abstenham de promover greve total ou parcial dos serviços, sob pena de multa de R$ 937 mil a cada entidade.
greve_banco_bancario_sp_AGBR_1280x720
Crédito: Agência Brasil
Na capital paulista, haverá uma manifestação organizada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo está marcada para as 17h no Largo da Batata. No Rio de Janeiro, um ato está programado para as 15h na Cinelândia.
Ao menos 21 estados do Brasil têm manifestações contra as reformas propostas pelo governo Temer nesta sexta-feira, 28, de acordo com a Agência Estado. Há protestos em São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pernambuco, Paraná, Pará, Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Goiás, Mato Groso do Sul e Espírito Santo.
Confira abaixo as categorias da região metropolitana de São Paulo que decidiram aderir ou farão assembleias sobre o tema:
Sindicato dos Metroviários de São Paulo: As linhas 1-Azul passou a operar entre as estações Paraíso e Luz a partir das 9h. Os trens não estão parando na estação Sé por motivos de segurança, por causa do grande número de manifestantes na região. A linha 5-Lilás também retornou normalmente às atividades, segundo informações do site oficial do Metrô.
As linhas 2-Verde, 3-Vermelha, e o monotrilho da linha 15-Prata do Metrô permanecem paralisadas e não há previsão para retorno das atividades. A linha 4-Amarela, administrada pela empresa ViaQuatro, funciona normalmente. A paralisação foi confirmada apesar de liminares proibindo a greve.
Sindicato dos Ferroviários de São Paulo: A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que a Linha 10-Turquesa voltou a circular entre as Estações Brás, na região central da capital paulista, e Tamanduateí, na zona sul. Por enquanto, é o único trecho da companhia que opera na manhã desta sexta-feira, 28.
A previsão do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo dos ferroviários é de que a greve dure 24 horas, e só retorne no sábado (29). Os ferroviários decidiram aderir à greve geral em assembleia nesta terça-feira (25).
Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo: Apenas as linhas de micro-ônibus e vans, que circulam nos bairros e são administradas por cooperativas, estão circulando na manhã desta sexta-feira (28). Ônibus urbanos que conectam bairros devem ficar paradas por 24 horas. A paralisação começou às 22h desta quinta-feira (27). A paralisação foi confirmada apesar de liminares proibindo a greve.
O secretário municipal dos Transportes Sérgio Avelleda disse, em entrevista à rádio CBN, disse que o sindicato dos motoristas de ônibus descumpriu decisão liminar judicial e que a Procuradoria Geral do Município já foi acionada para providenciar da Justiça cobrança de multa  aos manifestantes.
Correios: A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos, que reúne todos os sindicatos regionais da categoria, decidiu que vai entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 28. Cabe a cada sindicato estadual decidir se adere à decisão da federaçnao nacional. Funcionários dos Correios devem realizar uma assembleia na quarta-feira (26) para discutir o assunto. A direção do sindicato de São Paulo é favorável à greve
Aeroportos: Em São Paulo, o aeroporto de Congonhas tem greve da categoria dos aeroviários (que administram check-ins e bagagens), mas 30% do efetivo de profissionais foi mantido, segundo informações da Rede Globo, e o aeroporto funciona normalmente.  O aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos, também funciona normalmente. Nas primeiras horas da manhã, manifestantes bloquearam a rodovia Presidente Dutra, próximo ao acesso ao aeroporto, mas a via já foi liberada. O policiamento foi reforçado na rodovia Hélio Smidt, que dá acesso ao aeroporto internacional.
Em assembleia na noite desta quinta-feira, os pilotos e comissários decidiram que não farão greve após terem sido contemplados com emendas incluídas na reforma trabalhista que isentou a categoria de algumas mudanças propostas na lei, que foi aprovada na Câmara dos Deputados.
Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo: A maior parte das agências bancárias na Grande São Paulo deve fechar durante a sexta-feira. Cerca de 80% dos funcionários de bancos da região metropolitana de São Paulo aprovaram a paralisação no dia 28, em assembleias realizadas localmente. Cada agência devem decidir se abrirá ou não de acordo com o número de bancários que comparecerem ao trabalho.
Sindicato dos Professores de São Paulo: O sindicato dos professores de escolas particulares do Estado de São Paulo informa, em seu site oficial, que vai aderir à greve do dia 28.
Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo: Os professores da rede pública estadual em São Paulo decidiram aderir à paralisação do dia 28 em uma assembleia no dia 31 de março. Além de ser contra as reformas trabalhista e da Previdência, a categoria também reivindica reposição salarial de 22%.
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC: A diretoria dos metalúrgicos do ABC decidiu apoiar a greve desta sexta-feira. Nesta terça (25), centrais sindicais e sindicato já organizaram um atraso na entrada de trabalhadores nas montadoras como prévia da greve no dia 28.
Rio de Janeiro
No estado e na cidade do Rio, os funcionários do metrô e os motoristas e cobradores de ônibus irão parar nas primeiras horas de sexta-feira, assim como professores das escolas públicas e particulares, policiais civis, militares,federais;servidores das justiças federal, trabalhista; radialistas; petroleiros; carteiros e aeroviários.
A Secretaria Estadual de Transportes informou que os sistemas de metrô, trens, barcas e ônibus intermunicipais funcionarão normalmente, mas que há planos de contingência. A concessionária do serviço ferroviário no estado e a MetrôRio, que administra o metrô da cidade, informaram que vão monitorar a demanda de passageiros para reforçar a operação caso haja necessidade.
Segundo as empresas municipais de ônibus, que operam por meio da Rio ônibus, o não comparecimento do trabalhador será considerado ausente, com consequências previstas na legislação trabalhista. A concessionária do VLT Carioca informou que o Veículo Leve sobre Trilhos terá operação normal nas linhas 1 e 2 .
As secretarias estadual e municipal de Educação informaram que as escolas funcionarão normalmente.Os profissionais que faltarem terão o ponto cortado. O Colégio Federal Pedro II enviou nota informando que amanhã será ponto facultativo e não irá descontar o dia de quem não for trabalhar.
Bahia
Pelo menos seis categorias profissionais pretendem suspender as atividades.
Os rodoviários em Salvador iniciarão a paralisação a partir da meia-noite de amanhã. As agências bancárias estarão fechadas. Como segunda-feira (1º) é feriado, os serviços internos serão retomados a partir da terça-feira (2).
Professores das redes estadual e municipal irão aderir à greve geral. Os médicos estaduais também informaram que irão suspender os atendimentos eletivos (como consultas). Os serviços de urgência e de emergência serão mantidos.
Os petroleiros vão parar assim como os servidores municipais e da Justiça e do Ministério Público Estadual.
A prefeitura de Salvador informou que os servidores que faltarem “sem justificativa para a ausência terão o ponto cortado”. A prefeitura da capital anunciou que os funcionários que não aderirem poderão utilizar serviços de táxis sem custo, nos horários de início e fim de expediente.
No Aeroporto Internacional de Salvador, aeronautas irão aderir ao movimento e voos poderão ser cancelados ou remarcados. A Associação Brasileira das Empresas Aéreas orienta aos passageiros com viagem marcada que entrem em contato com a empresa aérea para se informar sobre possíveis cancelamentos e remarcações.
Brasília
A capital da República amanheceu sem transporte de ônibus e de metrôs, e com barricadas que bloquearam o acesso ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek. Os acessos ao aeroporto foram interditados pela Polícia Militar por medida de precaução, após os bloqueios feitos por manifestantes. Algumas pessoas deixaram os veículos e foram a pé até o terminal durante a manhã.
A Inframerica, concessionária que administra o aeroporto, informou, em comunicado publicado em sua página na internet, que, devido à paralisação, o terminal está operando, mas que podem ocorrer atrasos nos voos.
As duas vias da Esplanada dos Ministérios foram fechadas e o policiamento na região foi reforçada, segundo a Rede Globo.. Há cerca de dois mil policiais em patrulha na Esplanada, segundo a emissora.
Ceará
Pelo menos 21 cidades do Ceará terão paralisações e atos nesta sexta-feira (28). Várias categorias já anunciaram adesão à greve geral, a exemplo dos profissionais da educação, da construção civil e do transporte público. Os servidores do Judiciário também informaram que participarão da greve.
A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) reforçará o número de policiais militares em praças, nos terminais de integração do transporte coletivo e nas principais avenidas. A Autarquia Municipal de Trânsito vai atuar na organização do fluxo de veículos nos locais onde houver manifestações.
Minas Gerais
Ao menos 14 categorias em Minas Gerais já decidiram em assembleia aderir à greve geral convocada pelas centrais sindicais.
Aderiram à greve: rodoviários, metroviários, professores das redes pública e privada, servidores públicos, profissionais da saúde, trabalhadores dos Correios, eletricitários, bancários, psicólogos, economistas, jornalistas, radialistas, petroleiros e aeroportuários, entre outros. A maior mobilização ocorrerá em Belo Horizonte, onde é previsto um ato pelas ruas do centro a partir de 9h.
Os professores das escolas municipais de Belo Horizonte aprovaram uma greve de dois dias, que já começou hoje (27).
Professores e servidores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também decidiram cruzar os braços, assim como os das universidades federais de Juiz de Fora (UFJF), de Viçosa (UFV) e de Uberlândia (UFU). Segundo o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro), docentes de mais de 30 escolas e universidades particulares da capital não irão trabalhar, entre elas, a Pontifícia Universidade Católica (PUC Minas).
Bancários de diversos municípios também aprovaram a adesão e as agências devem ficar fechadas em Juiz de Fora, Patos de Minas, Ipatinga, Uberaba, Cataguases, Divinópolis e Teófilo Otoni, além de Belo Horizonte.
No caso da saúde, algumas unidades irão funcionar com escala mínima. De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde), é o caso do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, do Hospital Júlia Kubistchek e do Hospital Odete Valadares.
O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) concedeu liminar em favor da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) determinando que 80% dos trens devem circular nos horários de pico e 60% nos demais horários. O sindicato será multado em R$250 mil caso descumpra a decisão. O Sindicato dos Metroviários (Sindimetro-MG) diz que a paralisação deverá ser geral.
O TRT-MG declarou feriado o dia de amanhã no órgão, suspendendo as audiências e os prazos que venceriam na data, que serão prorrogados para o primeiro dia útil seguinte. De acordo com o TRT, a medida é devido à “expectativa de ocorrência de manifestações sociais de grandes proporções e a necessidade de se preservar a segurança dos magistrados, advogados, servidores, estagiários e jurisdicionados”.
A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Confins, informou que os serviços serão oferecidos normalmente, mas orienta os passageiros que se informem previamente com as companhias aéreas sobre a situação de seus voos.
Espirito Santo
Os principais pontos de acesso que ligam a capital Vitória às cidades vizinhas estão bloqueados por barricadas e protestos.
Na BR-101, manifestantes bloqueiam toda a via com ônibus e manifestantes que permanecem sobre o asfalto. Segundo a Rede Globo, apenas a passagem de ambulâncias é permitida pelos militantes das centrais sindicais.
Pernambuco
Policiais civis, federais, rodoviários federais, agentes penitenciários e guardas municipais do Recife e dos municípios de Camaragibe e Ipojuca, Região Metropolitana do Recife aderiram à greve geral.
No setor público, irão parar servidores da Assembleia Legislativa de Pernambuco, do Ministério Público de Pernambuco, professores e servidores da Universidade de Pernambuco (UPE), auditores fiscais da Secretaria da Fazenda de Pernambuco.
Professores e profissionais das redes estadual, municipal e privada de todo o estado aderiram ao movimento.
O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social em Pernambuco (Sindsprev-PE) pediu que os cidadãos com agendamento marcado para amanhã (27) liguem para o número 135 e façam reagendamento.
Houve adesão também de metalúrgicos, petroleiros, químicos, indústria naval, construção pesada, bancários e comerciários. Segundo a CUT, categorias como a de psicólogos, farmacêuticos, odontologistas, porteiros, técnicos de enfermagem e enfermeiros e condutores de ambulância aprovaram em assembleia a greve.
Em relação ao funcionamento dos ônibus e metrôs, a desembargadora Gisane Barbosa de Araújo, do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT), determinou que 50% da frota circule nos horários de pico, e 30% no resto do dia. Foi estabelecida multa de R$ 100 mil caso haja descumprimento. O Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco informou que a paralisação está mantida.
Greve geral: Situação das paralisações desta sexta-feira, 28 de abril Reviewed by DestakNews Brasil on 09:57 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.