Belo Horizonte registrou, pelo terceiro dia consecutivo, atos criminosos e de vandalismo contra o transporte público. De acordo com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, bandidos voltaram a incendiar ônibus na capital. Desta vez, a ocorrência foi registrada no bairro Castanheira, região do Barreiro, próximo a Estação Diamante.
O coletivo da linha 342 (Estação Barreiro/Solar) ficou totalmente destruído e nove pessoas foram apreendidas. Este foi o 13º caso contabilizado pelos orgãos de segurança pública na Região Metropoltiana de BH desde a noite de domingo (12).
Violência
Segundo a PM, o motorista do coletivo contou que, por volta da 00h20, parou na avenida Waldir Soeiro Emrich para desembarcar uma passageira. Jovens que estavam no ponto embarcaram no coletivo e, armados e carregando galões de gasolina, ameaçaram todos que estavam no veículo.
Depois de ser evacuado, os criminosos atearam fogo no ônibus. A PM foi acionada e conseguiu apreender em flagrante seis adolescentes, com  idades entre 16 e 17 anos, dois homens, de 27 e 19 anos, além de uma mulher de 18 anos.
Os suspeitos não informaram sobre a motivação do crime. Porém, deixaram com o motorista um bilhete manuscrito com a seguinte mensagem: "Pela a oprimissão no sistema de Bicas 2. E queremos melhorias o mais rápido possível se não vai rolar é morte lá dentro e aqui fora. E fodasse pro Estado. Assinado o crime.".
Todos os detidos foram levados para a Divisão de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad), onde a ocorrência foi registrada. Além dos bombeiros que estiveram no local para controlar as chamas, a Polícia Civil também compareceu ao endereço para periciar o ônibus.

Reforço na segurança
A Polícia Militar reforçou o policiamento nas ruas e avenidas da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) após a onde de ataques contra ônibus nos últimos dias. Desde o fim de semana, segundo informou o major Flávio Santiago, a corporação conseguiu apreender 183 barras de crack, droga avaliada em aproximadamente R$ 1 milhão. “Fizemos ainda apreensões em Divinópolis, na capital e em Ipatinga. Foi um duro golpe ao narcotráfico”, pontuou o oficial.
Para conter a ação dos criminosos, o Comando de Policiamento da Capital (CPC) disponibilizou, desde ontem, uma viatura a cada companhia de Belo Horizonte para reforçar a segurança dos motoristas e passageiros. “A Grande BH também terá ação para coibir os vândalos”, assegurou Santiago.

Publicidade: