AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Início das aulas exige adaptação de pais e filhos

01/02/2017

Famílias e escolas traçam estratégias para tornar a chegada dos pequenos menos estressante

O Tempo

Cynthia prepara a filha Larissa, de 1 e 9 meses, para ir à escola pela primeira vez
 
Quando a próxima segunda-feira (6) chegar, a contadora Cinthya Fonseca, 35, estará com o coração na mão preparando a pequena Larissa, 1 ano e 9 meses, para o primeiro dia de aula. “Eu tenho todas as dúvidas sobre a rotina da escola e a adaptação dela, e acho que vou sofrer mais do que ela”, diz. Enquanto mães e pais como Cinthya tentam domar a ansiedade para o primeiro dia de aula das crianças, que nas escolas de Belo Horizonte varia entre essa quarta-feira (1º) e segunda-feira (6), as escolas traçam estratégias para conquistar os pequenos e tornar o momento menos estressante.
“O momento é de acolhimento. Tem que passar segurança para os pais, porque quando eles confiam, as crianças também ficam mais tranquilas”, diz a diretora da unidade São Luís do Coleguium, Fátima Tropia. A escola reserva um dia para os novatos da educação infantil e fundamental I, para facilitar a adaptação.
A escola, que recebe crianças a partir dos quatro meses de idade, aposta em detalhes que fazem a diferença, como mandar, via WhatsApp, fotos para os pais durante os primeiros dias de aula. “Outra estratégia é desenhar um coração na criança. Eu falo: ‘esse é o coração da mamãe. Quando estiver com saudades, dá um beijinho nele’. Faço isso há anos”, diz Fátima.
No Magnum Buritis o caminho também é tranquilizar os pais. “A separação da família é um momento muito delicado. Precisamos acolher os pais também”, diz o diretor de ensino, Sérgio Porfiro. Nos primeiros dias, as aulas são em horário reduzido. “Varia de acordo com a necessidade da criança”, diz.
No colégio Nossa Senhora das Dores, o horário reduzido também é adotado. A coordenadora pedagógica geral Anna Paula Jorge Jardim diz que a fase de adaptação dura entre duas e três semanas, conforme o comportamento do grupo. “A escola tem que acolher com carinho e paciência. É a primeira vez que a criança sai do mundinho dela e vai para um espaço maior, conviver com pessoas estranhas, diz.
Para melhorar essa transição, a escola infantil Vila da Criança começa a passar orientações aos pais durante o processo de matrícula, no fim do ano anterior. Uma das dicas é não promover mudanças drásticas na rotina da criança nos meses que antecedem o início das aulas, como mudar de cama, de quarto ou retirar fraldas, chupetas e mamadeiras. “Para uma criança pequena, cada desses processos exige uma adaptação, por isso, é melhor não acumular alterações”, diz a a psicóloga educacional e orientadora da escola, Vila da Criança, Ana Maria Berutti Marques.
Esse é o cuidado que Cinthya espera encontrar na reunião que terá com a escola nessa quinta-feira (2). Estou completamente perdida e querendo saber como vai ser a convivência dela com outras crianças, como será a alimentação, o soninho da tarde, se tenho que mandar fraldas, lenço umidecido. Quero que a escola tenha paciência e me explique tudo de A a Z”, diz a mãe.


Volta às aulas 
Cerca de 500 mil crianças e adolescentes da Educação Infantil ao Ensino Médio começam a voltar às aulas a partir dessa quarta-feira (1º) nas escolas privadas, municipais e estaduais de Belo Horizonte.

Novatos também precisam de atenção

Não são apenas as crianças que vão à escola pela primeira vez que precisam de atenção especial nos primeiros dias de aula. Aquelas que estão trocando de escola também precisam se adaptar ao novo ambiente. “A troca de escola também é um momento que exige atenção”, diz o diretor de ensino do Magnum Buritis, Sérgio Porfiro. Ele explica que o maior desafio é integrar os novatos ao grupo que já está formado.
“Preparamos para que as crianças se sintam aceitas”, diz a diretora da unidade São Luís do Coleguium, Fátima Tropia. O dia exclusivo para os novatos, por exemplo, se estende a todas as crianças da educação infantil e do fundamental I, não apenas aos pequenos. “A criança se sente acolhida e mais à vontade, porque é apresentada aos ambientes e às pessoas da escola”, diz.
Com 2 anos e 6 meses de idade, o pequeno Max vai iniciar a terceira adaptação. No ano passado, ele começou a frequentar uma escola, mas a experiência não foi boa. “A escola não soube conduzir a adaptação. Conversei e mandei e-mail pedindo para participar do processo de adaptação, mas a escola não me atendeu”, conta a mãe, Clarice Amaro, 35. O resultado foi que a criança chorava antes mesmo de chegar à escola.
Menos de um mês depois, Max mudou de escola e, com a presença da família nos primeiros dias, se adaptou bem e começou a gostar da escola. Mas mudará novamente, por decisão da família. “Um dos meus critérios foi poder acompanhar a adaptação. A escola não pode ser muito rígida, porque ele é muito pequeno”, afirma Clarice.

Dicas
  • Mães e pais tranquilos passam tranquilidade às crianças
  • Leve a criança andando, e não no colo, para que a separação seja mais natural
  • Leve um objeto de estimação (brinquedo, etc), para a criança se sentir mais segura
  • Esteja disponível ou tenha alguém da família para acompanhar a adaptação
  • Converse e seja carinhoso com a criança. Mostre que ela tem direito de chorar, de sentir saudades e medo, mas insista que a escola é a melhor opção. 

 

Início das aulas exige adaptação de pais e filhos Reviewed by DestakNews Brasil on 11:49 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.