AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Têko fala sobre suas primeiras ações à frente da Prefeitura de Itapecerica



O prefeito eleito de Itapecerica, Wirley Reis, o Têko, destaca em entrevista como estão os trabalhos da comissão de transição, as prioridades da sua futura gestão e seus planos para encarar a crise política e financeira que ocorre em todo o país. Ele fala também sobre a montagem de sua equipe de governo e sobre seu futuro político. 
 (Foto arquivo pessoal)

A diplomação do novo prefeito será realizada no dia 16 de dezembro, às 16 horas, na Câmara Municipal de Itapecerica, e será aberta à população.


Prefeito, como está o andamento dos trabalhos da equipe de transição?


O ofício requerendo a instalação da comissão de transição, onde já constava os nomes que a compõem, foi enviado por mim ao prefeito Antônio Dianese no dia 17 de outubro. No dia 18 de outubro, o atual prefeito assinou um decreto em que indicou os membros da atual administração que iriam compor a transição e nomeou o Dr. Edson Araújo Rios para atender às demandas da nossa equipe. No mesmo decreto ficou definido que a comissão iria atuar de 16 de novembro a 16 de dezembro.

Logo que os trabalhos foram iniciados, surgiram alguns problemas. Foram solicitados vários documentos, mas a comissão vem encontrando dificuldades na obtenção de alguns dados, que vêm sendo repassados a conta gotas. Nossos representantes das áreas jurídica, financeira, de saúde e de assistência social já têm em mãos subsídios para o planejamento de futuras ações de governo. Já os representantes dos setores de obras e transportes têm encontrado uma resistência maior por parte da atual administração. Mas, felizmente, tenho informações de que finalmente, nesta ultima semana de atuação da equipe de transição, eles terão pelo menos parte de seus pedidos atendidos. Então, estou certo de que, apesar das dificuldades, ao final desta última semana de trabalho a comissão terá condições de me fornecer elementos suficientes para planejar os primeiros atos de governo.

Poder contar com a colaboração da atual gestão é importante para que não se paralisem os serviços básicos prestados à população, uma vez que o objetivo da transição é conhecer melhor todos os dados da Prefeitura e, a partir daí, formatar nossa gestão. Meu dever de casa antes de assumir a Prefeitura é conhecer a máquina administrativa em todas as suas dimensões e, junto com minha equipe, planejar o modelo de governo a ser desenvolvido a partir do ano que vem, levando em conta as prioridades da cidade e o orçamento aprovado pela Câmara Municipal. Só para esclarecer, a equipe de transição não tem o papel de investigar ou de fazer auditoria na Prefeitura, mas apenas colher subsídios para as ações e providências iniciais do novo governo. Uma auditoria poderá, no entanto, ser realizada no início de 2017, caso necessário.


Quais serão suas primeiras ações de governo?


Minhas primeiras ações de governo serão melhorar a eficiência da gestão pública e dar voz ao povo, despendendo atenção especial a todas as demandas ouvidas durante a campanha eleitoral. Visitamos toda a cidade, as comunidades rurais e distritos e sabemos o que o povo deseja. Agora temos que transformar as demandas em realidade. Mesmo em momentos de crise, temos que tentar fazer o melhor e transformar nossa cidade em um lugar que, cada vez mais, ofereça condições de vida digna a todos os moradores, ampliando e facilitando o acesso aos bens e serviços que são direitos de todo cidadão.


E quais serão as prioridades da sua gestão?


As prioridades serão a saúde, o bem maior que uma pessoa pode ter e pré-requisito essencial para tudo que se queira fazer, e a educação, pois considero que ela é a base para uma vida digna e para a formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade. Outra prioridade será a manutenção das contas da Prefeitura sempre em dia e os salários do funcionalismo adequados à nossa realidade e à realidade do mercado. Também não vamos nos descuidar da segurança, pois não podemos deixar que uma cidade como Itapecerica seja tomada pela criminalidade e as pessoas deixem de gozar da tranquilidade que era vivenciada em nosso município até pouco tempo atrás. O diálogo será fundamental ao longo da nossa gestão, pois todas as ações da administração municipal serão sempre norteadas pelas necessidades e demandas da sociedade.


Sua equipe já está montada?


Ainda não temos todos os nomes definidos, mas eles deverão ser anunciados no final deste mês. De maneira muito calma e equilibrada, estamos procurando escolher pessoas com comprovada experiência na área em que irão atuar. Estou analisando tudo com muita cautela e parcimônia.


O Brasil enfrenta uma grave crise política e financeira. De que forma isto irá afetar o seu governo, principalmente no que se refere ao quadro de pessoal?

Nossa missão número um neste momento de crise será fechar as torneiras, tentar reduzir a quantidade de cargos comissionados e órgãos da Prefeitura e rever os contratos existentes. Precisaremos cortar as despesas com a folha de pagamento para que possamos investir em áreas como saúde e educação. A contenção de despesas é que permitirá o financiamento do plano de governo que apresentamos à população. Teremos que tomar medidas duras no início da gestão para viabilizar o bom andamento da cidade, fazer sobrar verba para ser empregada nas ações mais urgentes. Vamos assumir, creio eu, no momento mais difícil de se governar, em que o Brasil e o estado de Minas Gerais vivem grandes crises econômicas e políticas. Mas, com força de vontade e união, faremos o melhor.


Todas as adequações na Prefeitura serão feitas de uma só vez?


Não. Inclusive quero aproveitar esta entrevista para afirmar à população que tudo será realizado com planejamento. Nenhuma mudança será feita do dia para a noite. Peço calma e paciência a todos os munícipes para que possamos entender os meandros da administração pública e seus gargalos e, assim, melhorar os serviços prestados. Tudo demandará tempo e, claro, como disse anteriormente, planejamento. Nada será feito dentro de um mês, dois meses. Tudo será realizado com calma, responsabilidade e sensatez.


Como o senhor está lidando com o assédio de partidos e cabos eleitorais por participação no seu governo? 


O assédio neste quesito é normal. Afinal, fui eleito com o apoio de dez partidos e todos poderão ter representatividade na minha administração, considerando, obviamente, a escolha de nomes qualificados e gabaritados para os cargos a serem ocupados. O número de pessoas desejando uma colocação é grande, mas temos que entender que a Prefeitura não pode ser um cabide de empregos. Ela é uma instituição do povo e precisa ser, antes de tudo, eficiente na prestação de serviços para a população. Ao invés de sobrecarregar a administração com contratações que, na maioria das vezes, seguem um critério político e não técnico, defendo a valorização dos profissionais concursados, em especial aqueles que prestam atendimento direto à população, como professores, técnicos administrativos, agentes de saúde e endemias e motoristas.


Existe dentro do seu partido, o PHS, e entre seus apoiadores na eleição de 2016 um movimento para que o senhor seja candidato a deputado estadual em 2018?


Num primeiro momento não existe ainda esta possibilidade. Mas, como dizia Magalhães Pinto, “política é como nuvem: você olha e ela está de um jeito, olha de novo e ela já mudou”. Ainda sem pensar nem em reeleição, até porque não sabemos se ela ainda será permitida nas próximas eleições municipais, eu pretendo cumprir todas as propostas apresentadas à população ao longo dos próximos quatro anos. Não tenho plano de poder, de me perpetuar à frente da Prefeitura. Se fizer bem feito meu trabalho nesta minha gestão, ao final ficarei feliz e sentirei, aliviado, que cumpri a missão que me foi confiada. Quero me dedicar, fazer o melhor e melhorar a vida de todos os itapecericanos. A responsabilidade é mesmo muito grande, mas a gente precisa ter coragem para enfrentar. Sei que não vai ser fácil, mas tenho uma força de vontade enorme em ajudar as pessoas de minha querida Itapecerica a ter uma vida melhor. Não é preciso ter medo. Basta colocar Deus à nossa frente e estar aberto ao aprendizado, pois tenho muito o que aprender e não me julgo melhor do que ninguém. Estou tranquilo e sereno com relação a esse desafio que me foi confiado pelo povo da minha terra. Sinto-me preparado e determinado a fazer um excelente mandato como prefeito.

Têko fala sobre suas primeiras ações à frente da Prefeitura de Itapecerica Reviewed by DestakNews Brasil on 18:23 Rating: 5
Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.