AnuncioTop

Ultimas Notícias

recent

Auxiliar de enfermagem cria boato, mobiliza polícia e causa pânico

31/12/2016

O suposto crime teria acontecido contra uma menina de 5 anos, dentro de um shopping na região. Caso viralizou nas redes

A Tribuna


Suposto caso teria ocorrido em novembro deste ano e causou pânico nas redes sociais ( Foto: Alexsander Ferraz)

Unidade policial sempre acionada para os casos de maior complexidade e gravidade da região, a Delegacia Especializada Antissequestro (Deas) de Santos despendeu tempo e recursos materiais e humanos, em detrimento de outras investigações, para uma tentativa de sequestro que não aconteceu. Apurada a farsa, a sua autora agora será responsabilizada.
O suposto crime teria acontecido contra uma menina de 5 anos, às 21 horas de 27 de novembro, domingo, dentro do Praiamar Shopping, segundo noticiou pelo Facebook uma auxiliar de enfermagem, de 24 anos. Residente do Embaré, a jovem é prima da mãe da criança, que também estava no centro de compras com outro filho, de apenas oito meses.
A auxiliar de enfermagem não chegou a procurar a Polícia Civil. Porém, investigadores da Deas a identificaram por meio da rede social e a convidaram a formalizar o registro do caso, devido à gravidade do episódio narrado e à sua repercussão. Na delegacia, a jovem reafirmou que houve a tentativa de sequestro, mobilizando toda a equipe da especializada para elucidá-la.
Em pouco tempo, a postagem no Facebook viralizou, alcançando 4,1 mil compartilhamentos, 312 comentários e 770 curtidas, conforme contabilizou a investigadora Katherine Cramer. O assunto também bombou no aplicativo WhatsApp, atingindo um número imensurável de pessoas e “criando pânico e insegurança entre os pais da região”, de acordo com relatório conclusivo de 27 laudas produzido pela Deas.

Horas de filmagens de diversas câmeras foram requeridas ao Praiamar e, de imediato, fornecidas pela segurança do shopping. Os policiais Marcelo Canuto, Wilson de Moraes Júnior e Fernando Coelho se dividiram para examiná-las, em especial aquelas captadas nos exatos local e horário da suposta investida contra a menina.
Sem cortes, as gravações não mostram nada de anormal e contradizem os depoimentos prestados pela auxiliar de enfermagem e pela mãe da menina. Ouvidas em separado, elas apresentaram divergências que já prenunciavam ser a história mentirosa. O motivo pelo qual a tentativa de sequestro foi inventada não ficou apurado, mas a mãe declarou de modo formal a sua intenção de consultar advogado para ajuizar ação contra o shopping.
As imagens das câmeras foram ratificadas pelos relatos de seguranças. Eles aparecem nas filmagens realizando o seu trabalho de rotina e não constataram qualquer problema no Praiamar e nem foram acionados por frequentadores, embora a auxiliar de enfermagem tenha postado no Facebook que “para minha surpresa vários pais relataram o mesmo caso... com as mesmas características do infeliz (suposto sequestrador)”.
Convicto de que nada ocorreu, o delegado Renato Mazagão Júnior lamenta o uso das redes sociais para gerar apreensão entre a sociedade por episódios inexistentes e dá a investigação por encerrada. “Esse tipo de boato causa pânico, desvia a atenção da polícia e depois, quando acontece algo de verdade, ninguém acredita”. Acusada da contravenção penal de falso alarma e do delito de comunicação falsa de crime, a auxiliar de enfermagem terá a sua conduta apreciada pelo Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Auxiliar de enfermagem cria boato, mobiliza polícia e causa pânico Reviewed by DestakNews Brasil on 10:37 Rating: 5
Postar um comentário
DESNEWS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.