Universitário é agredido com barra de ferro em boate no Olhos D'Água em BH

Estudante de direito de 22 anos perdeu seis dentes e precisará passar por uma cirurgia no nariz, que foi quebrado em diversos lugares na madrugada desta quarta-feira (2)

O Tempo

Agressão aconteceu no interior da boate na madrugada desta quarta-feira (2)

Menos de dois meses após um universitário ser espancado na porta da boate Hangar 677, no bairro Olhos D'água, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, um estudante de direito de 22 anos voltou a sofrer agressões durante a madrugada desta quarta-feira (2), desta vez no interior da casa. Os suspeitos teriam usado uma barra de ferro retirada do suporte de uma das mesas da boate, fazendo com que o rapaz perdesse seis dentes e tivesse o nariz quebrado. Ele precisará de passar por uma cirurgia plástica.
O Boletim de Ocorrência só foi registrado pela Polícia Militar (PM) nesta manhã. Aos policiais, o jovem contou que estava com a namorada e amigos quando, ao tentar passar entre duas mesas, foi impedido. Ainda conforme o relato da vítima, os suspeitos, que não foram identificados, usaram uma barra de ferro para agredí-lo. A reportagem de O TEMPO conversou com a mãe do rapaz agredido, a advogada Marta Aparecida de Oliveira, de 55 anos, que contou que o filho foi agredido por volta das 2h.
"Eles tinham acabado de chegar. As meninas tinham ido ao banheiro e ele ficou esperando. Quando elas saíram ele foi andando na direção delas e, quando foi passar entre duas mesas, surgiu um grupo de jovens e disseram que ele não iria passar. Diz que ele não brigou, mas passou por eles e um dos suspeitos veio por trás e pegou este suporte da mesa, de mezanino. Não sei se ele provocou, mas nada justifica uma agressão destas", conta a mãe.
Ainda de acordo com a mulher, nenhum segurança da casa teria aparecido para tentar impedir as agressões, sendo que os suspeitos foram afastados pelos amigos do universitário. "Iam chamar a ambulância, mas a paramédica que o atendeu lá na boate disse que era só um corte, que não precisa de chamar. Com isso pediram para pelo menos os levarem até o carro dele. A namorada dele assumiu o volante e levou ele para o hospital", continua a mulher.
A mãe ficou sabendo que o filho estava hospitalizado por um sobrinho, que recebeu uma ligação da namorada. Na unidade de saúde, ele recebeu os primeiros atendimentos e foi descartada lesão cerebral, entretanto, o nariz teria sido fraturado em diversos lugares, sendo necessária uma cirurgia plástica de rinoplastia. "Eu acho um absurdo, meu filho lindo. Vai ter que colocar uma prótese, pois os ossos do nariz estão todos quebrados, o septo foi deslocado. É uma cirurgia delicada, por isso não daria para fazer de emergência. Estão avaliando e vão marcar o dia", afirma Maria Aparecida.
A advogada afirma que nesta quinta-feira (3) fará um novo Boletim de Ocorrência, com maiores detalhes sobre o caso, já que o primeiro registro não trazia muitas informações. "Vamos tomar as medidas contra a boate, pois o que aconteceu foi que se recusaram a socorrê-lo", finaliza. O rapaz agredido está cursando o 8º período de direito na faculdade Fumec.
O caso será investigado pela 4ª Delegacia de Polícia Civil do Barreiro, a mesma que conduziu as investigações do espancamento do estudante de medicina Henrique Papini, também de 22 anos, ocorrido já do lado de fora da boate no dia 7 de setembro deste ano. Relembre o caso CLICANDO AQUI.
Boate não tem câmeras na parte interna
Conversamos com um dos proprietários da boate Hangar 677, que preferiu não ser identificado. ele contou que não há câmeras de segurança no interior da casa e que até o momento não teria ficado sabendo de nenhuma agressão ocorrida nesta madrugada. "Temos uma empresa de segurança idônea, que está no mercado há mais de 30 anos, e vamos procurar saber todos os detalhes, averiguar o que aconteceu", afirmou.
Ainda conforme o empresário, não há câmeras dentro da boate por se tratar de um espaço aberto. "Não é uma exigência legal que tenhamos vigilância interna. Nós atendemos todas as exigências da legislação", concluiu.