A eliminação na Copa do Brasil foi rapidamente esquecida pela equipe do Cruzeiro.
Hoje em Dia
 
Nesta 34ª rodada, o time celeste deixou para o "quase impossível" as chances de ser rebaixado para a Série B. Em uma atuação de gala do quarteto ofensivo, venceu o Fluminense por 4 a 2, de virada, no Mineirão.
A torcida do Cruzeiro, que pendurou faixas de protesto contra a morte de Eros Dátilo, ex-líder de uma organizada celeste, compareceu em baixo público. Mas soube participar da festa dentro do gramado. O começo, porém, foi preocupante.
Em um vacilo do volante Henrique, o atacante Richarlison, revelado pelo América, disparou e ganhou de Bruno Rodrigo na corrida. Quando a linha de chute começava a fechar, o camisa 11 disparou rasteiro e cruzado para o goleiro Rafael. O Flu abria o placar após lamentar um chute violento de Cícero, salvo pelo arqueiro celeste.

O Cruzeiro baqueou por poucos minutos. Depois de encaixar a marcação de Gustavo Scarpa e Wellington, as grandes figuras cariocas, o time de Mano Menezes conseguiria infiltrar-se na insegura zaga tricolor. O atacante Rafael Sóbis pôde dar fim a um longo jejum e marcar outro gol diante de um ex-time. Antes, o Internacional tinha sido vítima de um hat-trick do camisa 7, quando ele marcou os únicos três gols pela Raposa. 
Após o empate, o time celeste procurou explorar as pontas. Conseguiu. O atacante Willian, inspirado em Sóbis, também deu fim a um tabu de gols. De cabeça, no ângulo, sem chances para o goleiro Julio Cesar. A Raposa fechava o primeiro tempo na frente, e voltaria do intervalo na mesma pegada.

O Flu, completamente nocauteado, não conseguia ganhar as divididas. Teve que fazer uma substituição precoce. Richarlison deu lugar a Magno Alves. O meia-atacante Arrascaeta ganhou uma dividida no meio de campo, carregou a bola sem se preocupar no desarme e arriscou de longe, seco, balançando a rede antes do primeiro minuto do segundo tempo.
O jogador, convocado para defender a Seleção Uruguaia nas próximas rodadas das Eliminatórias, ainda contribuiria para o quarto gol celeste. Em passe açucarado, entre Henrique e Gum, Arrascaeta descobriu Alisson. O jovem prata-da-casa dominou, deixou a bola escapar um pouco, mas a recuperou em um chute que achou o espaço entre o pé e a trave de Julio Cesar.
O Flu ainda minimizaria a péssima atuação ao marcar o segundo gol no último segundo de partida. Scarpa (sempre ele) bateu escanteio. Magno Alves desviu a bola, que chocou-se com a cabeça de Ramón Ábila e entrou no gol de Rafael.
Um show do ataque celeste, que teve o argentino Ábila preterido para o segundo tempo. A torcida do Cruzeiro, agora, já pode pensar em 2017. Com 44 pontos na tabela, as chances matemáticas de ser rebaixado caem para 21%. Faltam apenas três pontos para o time celeste zerar esta ameaça matemática.

Ficha Técnica
Cruzeiro 4x2 Fluminense

Cruzeiro: Rafael; Lucas Romero, Léo, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique e Ariel Cabral; Rafael Sobis, Arrascaeta (Alex) e Alisson (Bruno Nazário); Willian (Ábila). Técnico: Mano Menezes
Fluminense: Júlio César; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Edson, Cícero, Claudio Aquino e Gustavo Scarpa; Wellington (Marcos Júnior) e Richarlison (Magno Alves). Técnico: Levir Culpi
Gols: Richarlison, aos 9 minutos; Rafael Sóbis, aos 25 minutos e Willian, aos 45 minutos do primeiro tempo; Arrascaeta, no 1º; Alisson, aos 5 minutos e Ábila (contra), aos 47 minutos do segundo tempo. Arbitragem: Elmo Alves Resende Cunha, auxiliado por Cristhian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha. Trio de Goiás.  Cartões amarelos: Alisson e Lucas Romero (CRU); Claudio Aquino (FLU) Público: 7.735 pagantes Renda: R$ 181.573,00