Servidores do sistema socioeducativo e prisional de MG, iniciam preenchimento de ocorrências

Os profissionais passaram por uma capacitação de 64 horas de aulas teóricas e práticas para exercerem a nova função

Da Agência Minas
 
A partir desta terça-feira (22/11), servidores do Centro Socioeducativo Dom Bosco e do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira, ambos em Belo Horizonte, começam a registrar as ocorrências que acontecem nessas unidades por meio do Registro de Eventos de Defesa Social (Reds).
O procedimento será estendido para todas as unidades socioeducativas e prisionais de Minas Gerais e resultará em economia, evitando o deslocamento e o empenho de policiais militares para fazer os registros.
No país, apenas Goiás e Mato Grosso do Sul já possuem essa prática, que é uma antiga demanda dos agentes prisionais e socioeducativos do Estado. Para iniciar os preenchimentos de Reds, os profissionais do Dom Bosco e Ceresp Gameleira passaram por uma capacitação de 64 horas de aulas teóricas e práticas.
Anualmente, cerca de 15 mil ocorrências são registradas em unidades socioeducativas e prisionais do Estado. Com a nova ação de gestão, o registro ficará sob a responsabilidade de servidores da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).
Além de liberar policiais militares para o policiamento ostensivo, espera-se mais precisão nas informações desses registros primários, já que serão feitos por pessoas que estão no local e conhecem a rotina da unidade prisional.