PF desarticula grupo criminoso que fraudava a Previdência

Fraudes podem tem causado aos cofres públicos um prejuízo de R$ 10 milhões

O Tempo

Cerca de 50 agentes estão nas ruas cumprindo sete mandados judiciais em Brasília

Uma organização criminosa composta por empresários, um servidor do INSS e um escritório de contabilidade, que fraudava a Previdência Social, foi desarticulada nesta quinta-feira (24) Pela Polícia Federal (PF). Cerca de 50 agentes estão nas ruas cumprindo sete mandados judiciais, expedidos pela 12ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal.
As fraudes, segundo a PF, podem tem causado aos cofres públicos um prejuízo de R$ 10 milhões. As consequências da sonegação poderiam "gerar um rombo de R$ 37 milhões nas contas da Previdência”, segundo a nota da PF.
Os criminosos usavam empresas ativas e inativas para o envio de Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIPs), com dados fraudados sobre supostos prestadores de serviços, de acordo com a PF.
“Nas GFIPs eram inseridas, ainda, informações acerca de supostas compensações de valores de créditos tributários devidos ao Erário, acarretando o “zeramento” (ausência de tributos a recolher aos cofres públicos)”, diz a nota.