Mulher tem rosto desfigurado ao negar fazer sexo com ex-namorado

Suspeito teria raptado a vítima e a levado para um motel, mas como a mulher recusou a manter relações com ele acabou agredindo a vítima; homem fugiu após o crime e ainda não foi encontrado.

O Tempo

Uma auxiliar administrativo teve o rosto desfigurado ao ser espancada pelo ex-namorado que a raptou e a levou para um motel de Juiz de Fora, na Zona da Mata, no interior de Minas, na noite dessa terça-feira (15). O suspeito fugiu após o crime e ainda não foi encontrado.
A Polícia Militar (PM) foi acionada pelas funcionárias do motel, localizado na estrada União Indústria, no bairro Granja Santo Antônio, por volta de 23h40. No local, a vítima, identificada apenas pelas iniciais  I.Y.C. 35 anos, relatou estar seguindo para casa, quando foi abordada na rua pelo ex-namorado, T.F.V, de 34, que estava em um Fiat Pálio prata.
Conforme o relato da vítima, o suspeito estava armado e exigiu que ela entrasse no carro. Já no interior do Fiat, o suspeito seguiu em alta velocidade para o motel.
Como estava sendo ameaçada por uma arma, a vítima decidiu não gritar. Contudo, no interior do quarto o suspeito tentou a obrigar a manter relações com ele e ela se recusou.
Nervoso com a posição da ex-companheira, o suspeito teria a agredido com vários socos na face e, em seguida, a estrangulado. A vítima diz que, durante as agressões, veio a desmaiar, acordando dentro do carro do ex-companheiro.
O veículo tentava deixar as dependências do motel, quando ela acordou e percebeu que estava no banco de traseiro do Fiat Siena.
Segundo consta no boletim de ocorrência, a mulher desceu do carro em movimento e tentou correr, mas novamente foi interceptada pelo suspeito, que voltou a agredir a vítima. O homem só não contava que, dessa vez, seria interceptado pelas funcionárias do local.
Ao perceber que havia sido flagrado batendo na ex-companheira, o suspeito deixou o motel em seu carro e, até esta quarta (16), não havia sido localizado.

A PM registrou um boletim de ocorrência e o encaminhou para a Delegacia de Mulheres de Juiz de Fora. O caso foi recebido na manhã desta quarta pela delegada Sheila Oliveira que abriu um inquérito para apurar o caso.