Investigador da PCMG fala sobre falsificação de bebidas

Cada vez mais comum, o crime de falsificação de bebidas pode lesar, não somente as empresas envolvidas, como também os consumidores de bebidas caras. 

 Divulgação PCMG

Investigador Moacir Lemos explicou as diferenças entre uma bebida legítima
e uma falsificada.


Por isso, é importante ficar atento às dicas da Polícia Civil para não cair nesse golpe.  Para falar sobre o assunto, o investigador da Polícia Civil Moacir Lemos participou da edição de hoje (8) do programa Minas no Ar com a PCMG, na Rádio Inconfidência.


O policial explicou como a Polícia Civil tem atuado, por meio de operações, para combater essa prática em todo o estado, como foi o caso de uma ação realizada em uma boate no município de Mariana, no dia 24 de setembro, quando foram diversas bebidas com suspeita de falsificação, como garrafas de uísque e vodka.

Além disso, a Polícia Civil tem realizado instruções aos consumidores no sentido de alertar quanto aos riscos do consumo de bebidas falsificadas e como identificá-las. “O consumidor deve estar atendo aos sinais que podem sugerir falsificação e exigir seus direitos. A polícia deve ser acionada imediatamente, por meio do 197 ou o disque-denúncia 181”, orientou.