Inquérito do caso de agressão da boate Hangar é concluído


A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu hoje (10) o inquérito que investigava a agressão de Henrique Papini, na madrugada do dia 7 de setembro de 2016, enquanto saia da boate Hangar, no bairro Olhos D’Água. Foram indiciados Rafael Batista Bicalho, 19 anos e Thiago Motta Vaz Rodrigues, 20, pelo crime de tentativa de homicídio por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. A pena para esse crime é de 12 a 30 anos de reclusão. A motivação teria sido ciúmes do Rafael pela ex-namorada.

Durante as investigações foram ouvidas 12 pessoas, entre testemunhas, vítima e suspeitos. O delegado de polícia Flávio Grossi, responsável pelo caso, explicou a linha de investigação seguida no caso. “Inicialmente, havia quatro suspeitos, que foram profundamente investigados. Ao longo do trabalho, concluímos com fundamentação fática e jurídica, que somente os dois indiciados participaram do crime”, explica.

O delegado informa, ainda, que exames e imagens de circuito de segurança também foram utilizados nas apurações. “Além dos depoimentos, analisamos laudos de lesão corporal, que constatou o risco de morte e as múltiplas lesões que a vítima sofreu. O laudo das imagens confirmou as agressões”, acrescenta.

De acordo com as averiguações, os dois agrediram a vítima e, com isso, assumiram o risco de causar a morte do Henrique Papini. Dos dois suspeitos, somente Rafael assumiu ter agredido o rapaz.