Identificação de corpos da Ditadura ameaçada por falta de recursos


O trabalho de identificação das ossadas da vala de Perus, do cemitério Dom Bosco, na zona Norte de São Paulo, pode ser interrompido por falta de recursos. 

O Tempo

Hoje, o projeto que atua na identificação dos corpos de desaparecidos do regime militar custa cerca de R$ 3 milhões por ano – com recursos da Prefeitura de São Paulo, Ministério da Educação e o Ministério de Justiça e Cidadania. A mudança na gestão municipal e, em nível federal, a falta de previsão orçamentária específica para esse trabalho trazem dúvidas sobre sua continuidade.