Delegado da Polícia Civil pede que população fique atenta com boatos das redes sociais em relação ao caso Ana Clara

Em pronunciamento, Delegado da Polícia Civil pede que população fique atenta ao que circula nas redes sociais em relação ao caso Ana Clara
 (Foto Tribunaweb/Divugação)

Dr. Douglas Camarano pediu que todos acompanhem as divulgações feitas pelos meios de comunicação, cujas informações são muito mais fidedignas e seguras
O delegado da Polícia Civil que está cuidando do caso da garotinha Ana Clara, desaparecida desde sábado (12), emitiu nota à imprensa na tarde desta quinta em que pede para que a população tenha paciência com esta situação, pois, assim como toda população, os policiais também querem Justiça em relação a essa história.
Dr. Douglas Camarano de Castro, ainda no comunicado, pediu cautela em relação a falsas mentiras publicadas nas redes sociais, que podem acusar pessoas inocentes, além de atrapalhar o trabalho da polícia. “Essas falsas mentiras publicadas nas redes sociais tem atrapalhado o nosso trabalho, sobretudo, no tocante à acusação de pessoas inocentes, o que é um perigo, pois uma hora, pessoas mal-intencionadas podem influenciar outras a cometer atos de injustiça, sem dizer atos criminosos”, manifestou.
O chefe da Polícia Civil da Comarca pediu que a população ignore e despreze o que vem sendo divulgado nas redes sociais e que acompanhe as divulgações apenas nos meios de comunicação, que são as fontes mais confiáveis e seguras. “A população deve ignorar e desprezar o que vem sendo divulgado nas redes sociais, porque são muitos boatos infundados, especulações apenas, e que se quiserem confirmar a veracidade de algo, que acompanhe as divulgações feitas pelos meios de comunicação, cujas informações são muito mais fidedignas e seguras”, relata.
Ainda na nota endereçada ao jornalismo A Notícia, Douglas Camarano, prosseguiu manifestando repúdio quanto à situação de ontem, que obrigou a polícia levar a mãe da garota às pressas para outro local, pois corria riscos de ser agredida. “Ontem, por exemplo, na porta da Delegacia, em meio àquele alvoroço todo, estavam dizendo que a mãe da criança está envolvida no desaparecimento da menina Ana Clara. Aí eu pergunto: Quem disse isso? Onde está escrito isso? Em razão desses boatos maldosos, tivemos que retirar a mãe da cidade por precaução, o que é um absurdo. Se tivéssemos alguma informação concreta nesse sentido, já teríamos representado pela prisão temporária dela também”, relatou.
Outro ponto abordado pelo delegado diz respeito à parte da população que tem dificultado os trabalhos de investigação da polícia judiciária. “Ontem tinham pessoas seguindo as viaturas pelas ruas da cidade. Isso nos atrapalha, porque saímos para entrevistar pessoas, e acabou que tivemos que voltar para trás, porque as testemunhas que seriam entrevistas certamente ficariam receosas de dizer algo, caso tenham algo para nos falar”, opinou.
E manifestou dizendo que a polícia no momento não tem nada de concreto em relação ao caso Ana Clara, mas que está trabalhando diuturnamente para esclarecer esta situação. “Até então todo mundo é suspeito, e que em relação à mãe de Ana Clara, não temos nada, absolutamente nada que indique que ela esteja de alguma forma envolvida com o desaparecimento da filha. Lembrando que Marciana, além de estar passando por toda essa situação angustiante, ela ainda está com uma criança de colo, que necessita muito dos cuidados dela”, relatou.


  A ORIGEM DA CONFUSÃO QUE CONFUNDIU A IMPRENSA E TODA A POPULAÇÃO


O posicionamento do delegado vai de encontro à situação ocorrida ontem à noite em Carmo da Mata, ocasião em que populares lotaram a porta da delegacia e a residência da mãe de Ana Clara após ser noticiado que o padrasto havia apontado locais onde Ana Clara estaria, porém voltando atrás momentos depois, o que a Polícia Civil caracterizou como artimanhas do padrasto Alex Júnior para dificultar as investigações. A informação foi dada por um repórter de TV da região que teria recebido a confirmação traves de uma fonte da Polícia Civil. “Notícia triste. De acordo com a Polícia Civil, o padrasto da menina Ana Clara, de Carmo da Mata, desaparecida desde o último sábado confessou ter matado a menina. Ele está indo indicar onde enterrou o corpo. Nossa equipe de reportagem está indo para Carmo da Mata”, divulgou em seu perfil social, e, horas depois, complementou a informação que gerou total reboliço na cidade. “Conversei com o delegado regional da Polícia Civil, Egmar Geraldo da Silva, que disse que o suspeito teria voltado atrás e não teria confessado, mas logo depois ele indica um ponto que o corpo pode estar, depois outro, depois outro”.

Fonte: Jornal a Notícia