Chuva deixa três mortos e dois desaparecidos em Resplendor/MG


Estadão Conteúdo

Três pessoas morreram e duas estão desaparecidas por causa das chuvas que atingem o município de Resplendor, no Vale do Rio Doce, a 445 quilômetros da capital mineira. Cerca de 30 bombeiros e 10 brigadistas trabalham na região na busca pelos desaparecidos. As mortes ocorreram pelo desabamento de ao menos seis casas, conforme informações da Defesa Civil no município.
Os óbitos e os desaparecimentos ocorreram na noite de sexta-feira, 18, no distrito de Nicolândia, a 50 quilômetros de Resplendor. Existe a suspeita de que as duas pessoas ainda não encontradas possam ter sido levadas pela correnteza de um córrego que passa pelo distrito. O acesso a Nicolândia está prejudicado pelas péssimas condições das estradas, também afetadas pelas chuvas.

Os nomes dos mortos ainda não foram divulgados. E de acordo com levantamento do Corpo de Bombeiros, em Nicolândia, 127 pessoas ficaram desabrigadas e outras 151 desalojadas. Setenta e três casas tiveram algum tipo de dano e 42 foram destruídas. 

As chuvas provocaram estragos também em Aimorés, outra cidade do Vale do Rio Doce, porém sem vítimas. Segundo informações da Defesa Civil estadual, houve alagamentos e danos a estruturas públicas. Pela proximidade com Resplendor, e por não ter ocorrido mortes ou desaparecimentos de pessoas, a mesma equipe que está em Resplendor acompanha a situação em Aimorés.
Estragos
Há registro, ainda, de queda de pontes na região. Em Mendes Pimentel, uma ponte que dá acesso a Governador Valadares, a principal cidade do leste do Estado/Vale do Rio Doce.

Em Itueta, duas pontes que dão acesso a comunidades rurais também caíram. O acesso ocorre apenas por pessoas a pé ou com a utilização de motocicleta.

As chuvas pararam na região, mas há previsão de novas pancadas a partir da terça-feira, 22.