"Caso Ana Clara" A morte foi acidental, segundo padrasto de Ana Clara


 Corpo de Ana Clara foi achado em cova rasa na zona rural de Carmo da Mata (Foto: Thiago Carvalho/G1)
Menina estava desaparecida e padrasto preso, suspeito do crime. A equipe da PC juntamente com servidores da Prefeitura de Carmo da Mata visualizaram uma das perninhas da menina ao vistoriar o local, apontado pelo acusado.
O padrasto é o principal suspeito do caso. (Foto: rede social)
Ana Clara sumiu no sábado passado. (Foto: rede social)
O padrasto de Ana Clara Pereira Gonçalves, principal suspeito do desaparecimento e da morte da menina de cinco anos em Carmo da Mata (MG), disse em depoimento que a morte foi “acidental”. Segundo A polícia Civil de Minas Gerais, esta teria sido a justificativa dele para o ocorrido. “Alex Junior, de 27 anos, padrastro da menina, apontou o local onde teria escondido o corpo e disse em depoimento que a morte foi acidental. Ele já se encontra preso por cumprimento de mandado de prisão temporária desde a data de comunicação do desaparecimento. A Polícia Civil aguarda laudos periciais e as investigações seguem em andamento”, informou à PCMG. A necropsia no corpo da menina foi finalizada no início da tarde deste sábado. O corpo da vítima foi retirado da cova onde estava, próximo à Rodovia Br-494 – numa região rural conhecida como São Bento, na noite de sexta-feira (18/11/2016) e foi encaminhado ao IML de Campo belo (MG). Agora ele segue para a cidade de origem onde será sepultado.
Local onde o corpo foi encontrado. (Imagem: Thiago Goes)
Local onde o corpo foi encontrado. (Imagem: Thiago Carvalho – G1)
das pelo padrasto da garota Alex Júnior, que está preso em uma cela separada no presídio de Oliveira. Na quarta-feira, ele também teria apontado alguns lugares onde o corpo estaria. Houve tumulto na cidade. A população se reuniu em frente à delegacia. Mas, naquele dia não localizaram a menina.
De acordo com informações, o local da cova estava com a terra “fofa” e ao realizar uma busca visualizaram uma das perninhas da menina. O Corpo de Bombeiros trabalhou na operação sim, mas no dia anterior. Na sexta participaram das buscas os delegados Douglas Camarano (Carmo da Mata); com o apoio dos delegados Célio Sérgio e Alessandro Gambogi (Campo Belo), além da equipe de investigadores e uma equipe de servidores cedida pela Prefeitura de Carmo da Mata. Essa força tarefa que encontrou o corpo da menina.
Padrasto indicou local
O padrasto é o principal suspeito. (foto: rede social)
O padrasto é o principal suspeito. (Foto: rede social)
A região onde o corpo foi achado chegou a ser visitada pelos investigadores na quarta-feira (16), quando uma multidão se reuniu em frente à delegacia de Carmo da Mata em busca de informações sobre as buscas pela menina, em locais que o padrasto dela, principal suspeito do crime, havia apontado. Ele teve prisão preventiva decretada está detido em Campo Belo, a 77 quilômetros de Carmo da Mata.
Peritos técnicos colheram informações no local. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Campo Belo. O exame de necropsia deverá apontar se a criança teria ou não sofrido abuso sexual. A previsão é de que o corpo chegue a Carmo da Mata por volta das 13h00. O velório deverá ser restrito e ocorrer de forma rápida.
Ainda segundo a Polícia Civil, o corpo de Ana Clara foi retirado da cova em que estava no fim da noite de sexta-feira. Na manhã deste sábado ele passa por necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Campo Belo.
O sumiço
Ana Clara desapareceu por volta das 15h do dia 12 de novembro. Ela estava em casa com a mãe, o irmão mais novo e o padrasto. “Ela tinha me pedido para deixá-la ir brincar na casa de uma coleguinha e eu disse que não porque a mãe da colega eu não sabia se estava em casa ou se iria sair. Ela se sentou e ficou emburrada porque eu não a deixei sair. Foi o último momento em que eu a vi, pois fui lavar roupa”, disse a mãe Marciana Pereira Cruz.
Após a descoberta do sumiço da criança, Marciana e o companheiro foram levados à delegacia de Polícia Civil. O delegado percebeu algumas contradições no depoimento prestado pelo jovem. Por causa disso, ele foi preso temporariamente.
Câmeras de segurança instaladas na rua da casa da garota registraram o momento em que o carro do padrasto passou na rua no horário em que a mãe afirma que a filha teria desaparecido.

Fonte: Diário de Campo Belo