Baixada Santista terá reforço policial nas rodovias do Sistema Anchieta/Imigrantes

Comandante da PM garante mais 100 homens a partir de 17 de novembro

A Tribuna

Dos 100 novos policiais previstos, cerca de 60% devem permanecer na região (Foto: Alberto Marques)

A Baixada Santista receberá, a partir de 17 de novembro, mais 100 policiais militares rodoviários para reforçar o trabalho de combate aos roubos nas estradas. Esses PMs fazem parte de uma nova turma de soldados em formação e já têm o curso para atuar em rodovias, explica o comandante do Policiamento Rodoviário no Estado, coronel Mauro Cezar dos Santos Ricciarelli.

Segundo o comandante, aproximadamente 60% desse efetivo ficará definitivamente na região – que registrou número elevado de assaltos a motoristas este ano, inclusive com morte. Atualmente o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) conta com aproximadamente 250 policiais. Ricciarelli diz que há viaturas e equipamentos suficientes para todos.

Para ajudar os policiais e direcionar as ações, começaram a funcionar nesta terça-feira (1º) as 16 câmeras inteligentes que foram instaladas em pontos considerados críticos do SAI, conforme antecipou A Tribuna em setembro.

Elas têm zoom de longo alcance, sensor infravermelho para visão noturna e detecção automática de incidentes. Diferentes das que são usadas para monitorar o tráfego, as novas câmeras focam especificamente colocadas nas margens das rodovias, em busca de atitudes suspeitas.

Em detalhes

Os equipamentos são capazes, por exemplo, de identificar, em pontos previamente programados, a presença de uma pessoa caminhando, um carro parado ou até mesmo um objeto jogado sobre a faixa de tráfego. Uma vez detectada a situação, um alarme visual e sonoro é imediatamente transmitido aos policiais que ficam dentro do Centro de Controle Operacional (CCO) da Ecovias.

“Nossa característica sempre foi usar a tecnologia de ponta a favor da operação rodoviária. A ideia agora foi usar essa expertise para ajudar na segurança pública, que embora não esteja na nossa alçada, afeta diretamente o usuário do sistema”, explica o diretor-superintendente da Ecovias, Rui Klein. A concessionária investiu R$ 3 milhões no sistema.
SAI já passa a contar com mais 16 novas câmeras de monitoramento (Foto: Alberto Marques)
Eficácia

O secretário de Estado da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, destaca que é a primeira vez que uma concessionária de rodovia faz uma ação exclusivamente voltada para a Segurança Pública.

“Esse tipo de câmera é inédita no País. Todas as nossas rodovias concedidas no Estado tem bom monitoramento, mas não dedicado à segurança”.

Barbosa Filho afirma que o acionamento da polícia será imediato quando for observada atitude suspeita nas rodovias, já que no CCO da Ecovias ficam três policiais militares durante 24 horas. “O tempo resposta é muito rápido”, diz.

Questionado por A Tribuna sobre qual a estimativa, em minutos, para uma viatura chegar ao local de um roubo após ser acionada, o secretário não soube informar. “É o tempo necessário para se atingir, para chegar ao malfeitor. Não podemos precisar, porque seria a mesma coisa de contar para ele (o criminoso) onde nós estamos. Mas é o tempo suficiente”.

Ele afirma que não pode garantir que os assaltos vão acabar no SAI. “Evidente que ninguém está aqui prometendo zero crimes, porque isso é impensável”, diz, ressaltando que as imagens das câmeras também vão ajudar a Polícia Civil na investigação dos crimes e prisão dos responsáveis.