1ª produção nacional da Netflix, série '3%' estreia amanhã e mostra um Brasil devastado

"É um futuro quase presente." A frase da atriz Bianca Comparato sobre a nova série da Netflix, "3%", é tão desesperançosa quanto realista. 


Folhapress

O programa estreia amanhã (www.netflix.com.br) como a primeira produção nacional do canal de TV por internet e mostra um Brasil devastado. Sem entrar em detalhes de quando ou onde, "3%" retrata um país pós-apocalíptico condenado. As cidades são ruínas, as pessoas vivem na miséria. Há escassez de água.
Mas existe uma esperança: ser selecionado entre os 3% da população que, após enfrentar um rigoroso processo de seleção, é enviado para viver no Maralto, um lugar onde a vida é boa e justa. "O que me atraiu na série foi essa ideia de segregação, de ter 3% da população versus outros 97%. O Brasil já é uma grande distopia", avalia Bianca. Distopia é a palavra do momento. O dicionário explica: "Lugar ou estado imaginário em que se vive em condições de extrema opressão. Qualquer representação ou descrição de uma organização social futura caracterizada por condições de vida insuportáveis".
Mas o Brasil não é um lugar imaginário nem uma organização social futura. "Todas essas distopias têm um fundo semelhante: o futuro é uma merda, mas a promessa do que virá é maravilhosa", completa o diretor-geral César Charlone. "Há uma insatisfação geral no mundo", conta o produtor Tiago Mello. "E a série trata de um tema bem brasileiro: a desigualdade."
É nesse contexto que "3%" -cujo orçamento foi estimado em R$ 10 milhões- se desenrola. O primeiro dos oito episódios -lançados hoje, de uma só vez, no mundo inteiro- retrata justamente o início dessa seleção de quem vai se dar bem na vida. O processo se repete há mais cem anos e, atualmente, é coordenado pelo severo Ezequiel (João Miguel). "De cara, ele é um personagem estranho. É muito contundente. E também ambíguo, pois já foi do lado de cá, foi do Continente. A humanidade dele transparece", diz o ator. Já no início da história, um grupo de resistência tenta infiltrar uma pessoa no processo de seleção, e a identidade do jovem é uma das grandes revelações do capítulo de estreia.