Radares voltam a multar nas rodovias estaduais mineiras na próxima 3ª

Ao todo, serão implantados 393 equipamentos fixos e treze equipamentos móveis que contribuirão para garantir a segurança nas estradas

O Tempo

Governo de Minas Gerais, por meio do DER/MG, está investindo R$ 77,69 milhões no contrato dos radares pelo período de 30 meses
  A partir da próxima terça-feira (11), os radares voltam a operar gradativamente nas rodovias mineiras sob jurisdição do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG). Os primeiros equipamentos já estão funcionando em módulo educativo desde o dia 3 de outubro com o limite de velocidade permitido nas vias estaduais, que é de 60 km/h.

Veja as rodovias em que os radares começam a multa

- A MG-030, em Nova Lima
- MG-133, em Tabuleiro
MG-447, em Ubá

O Governo de Minas Gerais informou que, por meio do DER/MG, está investindo R$ 77,69 milhões no contrato dos radares pelo período de 30 meses. Ao todo, serão implantados 393 equipamentos fixos nas rodovias mineiras.
O número representa um aumento de 63,7% em relação à quantidade de aparelhos existentes até 2014. Outros treze equipamentos móveis também contribuirão para garantir a segurança nas estradas.
O objetivo do radar é proporcionar segurança nas rodovias, realizando o controle eletrônico de velocidade para coibir o excesso. A principal recomendação feita pelo DER/MG é para que, independentemente da presença de radares nas estradas estaduais, os motoristas respeitem a sinalização e os limites de velocidade específicos para cada trecho das rodovias.
Os novos radares, além de desempenhar ações de fiscalização no controle de velocidade, contribuirão com as ações de segurança, uma vez que 30% dos equipamentos contêm LAP (Leitor Automático de Placas) e podem agilizar a verificação da situação dos veículos, identificando casos de roubos e clonagens de placas.
Licitação
Os radares foram desligados nas rodovias estaduais em novembro de 2014, devido ao encerramento do contrato anterior. O DER/MG abriu processo licitatório em outubro do mesmo ano, mas o procedimento foi suspenso no mês seguinte em função dos questionamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG).
Após adequações no edital, o processo licitatório foi concluído em 9 de setembro deste ano, com a assinatura do contrato por 30 meses, podendo ser prorrogado por igual período.
O consórcio responsável pela instalação, manutenção e operação dos radares recebeu ordem de serviço, em 14 de setembro, para a instalação de 223 radares da primeira etapa e tem o prazo de 90 dias para concluir os trabalhos.