PCMG prende em Betim grupo suspeito de roubar mais de R$ 1 milhão

A Polícia Civil, em investigação que dura há quase dois anos, prendeu preventivamente, na última sexta-feira (7), em Betim, Cícero Soares Calisto, de 48 anos, André Luiz Santos, de 31, e Wilker Costa Pereira, de 33. Eles são apontados como responsáveis pelo roubo de R$ 1 milhão em cheques, após renderem o motorista de uma transportadora.
                                                                                 Divulgação PCMG

Delegado Álvaro Huertas durante coletiva de imprensa



Os investigados integram uma organização criminosa especializada em roubar malotes com cheques de transportadoras. Outras dez pessoas já foram presas no curso das investigações.
                                                                                                                                            Divulgação PCMG

Material recuperado

 

De acordo com o delegado Álvaro Huertas, responsável pelas investigações, os malotes contendo R$1 milhão em cheques foram roubados no dia 16 de maio, na BR 062. Na ocasião, os suspeitos bateram na lateral de um Fiat/Fiorino,  que transportava os valores, e em seguida interceptaram o veículo. O motorista, ao sair do automóvel, foi abordado por um suspeito armado, que o fez de refém e conduziu o veículo da vítima até uma região isolada onde os criminosos realizaram o transbordo da carga. O motorista foi amarrado próximo ao veículo e os suspeitos fugiram sentido Barreiro.
                                                                              Divulgação PCMG

Presos


“A partir de imagens de segurança, conseguimos rastrear, no mesmo dia, o veículo dos criminosos até uma casa na região do Barreiro, onde conseguimos recuperar todo o valor. Na oportunidade, os suspeitos fugiram”, explicou o delegado.

Os investigados tiveram seus mandados de prisão preventiva cumpridos em Belo Horizonte. Cícero e Wilker já possuíam passagens pela polícia por tráfico de drogas, falsificação de documentos e roubo. Já André, não possuía registros criminais.