PC prende mais três autores envolvidos em roubo e estupro em Veríssimo/MG

A Polícia Civil em Uberaba prendeu mais três suspeitos do crime que chocou a região de Uberaba. O roubo seguido de estupro de três vítimas na zona rural de Veríssimo (cidade fica a 57 km de Uberaba) está totalmente solucionado pela Polícia Civil.

Na quinta-feira (13), uma equipe de policiais civis, comandada pelo chefe do Departamento de Uberaba, delegado Heli Andrade, deslocou-se para a cidade de Matutina (aproximadamente 280 km de Uberaba) e prendeu os outros três suspeitos de participar do brutal crime.


Divulgação PCMG

Presos



Após diversas diligências realizadas pelos policiais civis, conseguiu-se identificar o paradeiro e prender os envolvidos no crime. Contra eles, a Polícia Civil solicitou mandados de prisão temporária, com prazo inicial de 15 dias, e formalizou as prisões na sexta-feira (14), em Uberaba.

São os envolvidos presos naquela data: L.L.M., 20 anos, conhecido nos meio policiais como “Dunga”, F.M.R.A., 19 anos, conhecido nos meio policiais como “Teba’, D.L.M. 26 anos, conhecido nos meio policiais como “Cowboy”.

O crime


O roubo e os estupros ocorreram na madrugada de quinta-feira (6), quando cinco suspeitos renderam uma família em uma fazenda localizada na zona rural de Veríssimo. Os suspeitos são: J.V.M.N., de 20 anos; L.L.M., de 20 anos, conhecido como “Dunga”; F.M.R.A., 19 anos, como “Teba Deivid”; “Cowboy” e um adolescente de 17 anos.

Segundo as investigações, as vítimas masculinas, o caseiro, de 53 anos, e seu enteado, de 21 anos, foram amarrados e amordaçados em uma das casas da fazenda. Onde também foram roubados uma TV 32 polegadas, um videogame, quatro aparelhos de telefone celular e aproximadamente R$ 2 mil. No local, os suspeitos ainda encontraram escondida embaixo da cama uma senhora de 41 anos, que começou a chorar. Enquanto  J.V.M.N., de 20 anos, ficou na casa vigiando as vítimas masculinas, os outros foram com a senhora de 41 anos para a casa anexa, onde estavam a filha de 26 anos e a amiga de 21. Como não encontraram nada de interesse para roubar, eles decidiram abusar sexualmente das mulheres.

Após os crimes, os suspeitos fugiram em uma moto Suzuki e um Fiat/Uno Mille de propriedade das vítimas, sendo os veículos abandonados depois em um canavial.

No dia 7, a partir das investigações iniciadas logo após a comunicação do fato à Polícia Civil, o delegado Heli Andrade e sua equipe se deslocaram ao assentamento de sem-terra Novo Mundo. Lá foi feita a apreensão do adolescente D.L.S., de 17 anos, que confessou sua participação nos crimes e apontou os demais autores. O suspeito J.V.M.N., de 20 anos, foi capturado por moradores da fazenda e entregue à Polícia Civil. Ele trabalhou na fazenda onde ocorreu os fatos e pode ter sido o mentor do crime de roubo.