A religiosa mineira, Irmã Benigna, que passa por processo de beatificação no Vaticano, vai ganhar um Memorial. 

 Hoje em Dia
Segundo informações da Arquidiocese de Belo Horizonte, o marco para o início desse projeto é a celebração, na próxima sexta-feira (28), quando os restos mortais de Irmã Benigna serão acolhidos pelos devotos no Santuário Nossa Senhora da Piedade, a partir das 14h. Às 15h, o arcebispo dom Walmor preside uma celebração na Ermida da Padroeira de Minas. E na manhã de sábado, será realizado o translado dos restos mortais para o Recanto Monsenhor Domingos, que pertence à Congregação, localizado também no Santuário. 
Ainda de acordo com a programação, às 10h de sábado, haverá a bênção da pedra fundamental do Memorial Irmã Benigna. Às 11h, será celebrada missa em memória da religiosa, seguida de procissão até a Cripta da Capela São Luiz, onde ficará a relíquia. 
O santuário Nossa Senhora da Piedade também vai receber os restos mortais de Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro, fundador da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade. Em 1867, ele fundou o Asilo São Luiz para acolher as crianças pobres e filhas de escravos, libertadas pela lei do ventre livre.  
História
Irmã Benigna Victima de Jesus nasceu em 1907, na cidade de Diamantina (MG). Tornou-se religiosa da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade e sua vida foi marcada pela caridade. Ela morreu no dia 16 de outubro de 1981. No dia 15 de outubro de 2011, o Vaticano autorizou o início do processo de beatificação de Irmã Benigna. A fase diocesana desse processo foi concluída em janeiro de 2013, com o início da etapa romana.

Este ano, a Associação dos Amigos de Irmã Benigna (Amaiben) e a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade lembram os 35 anos de morte da religiosa.