Homem morre a caminho do hospital após ser esfaqueado em Lagoa da Prata/MG

Na madrugada desta quarta-feira (19) um indivíduo, de 20 anos, conhecido nos meio policial foi preso por esfaquear outro homem no bairro Marília.  A vítima não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo enquanto era transferido para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.
(Foto Polícia Militar/Divulgação)

Segundo informações, o crime aconteceu após uma discussão ocorrida em um bar na rua Antenor Chagas Madeira. Informações também dão conta de que a briga se deu porque a vítima havia mexido com a mulher do autor.

De acordo com informações da Polícia Militar, o autor fugiu do local, mas foi localizado e preso. Ele já havia sido preso no dia 13 de outubro deste ano por envolvimento com o tráfico de drogas.
Em entrevista ao repórter da Rádio Veredas, Luiz Francisco, o autor do homicídio disse que a vítima havia “desacreditado de sua fé”. “O rapaz desacreditou da minha fé. Ele falou que tinha “garrado” a minha namorada. E ele pensou que eu estava de brincadeira. Eu conhecia ele e éramos amigos há mais ou menos 2 anos. A faca que eu usei estava no bar mesmo, ao lado de uma churrasqueira. Ele ficou me testando, me provocando demais. Eu falei pra ele que quem estava no “baguio” era ele, que ficava tentando “garra muié” de amigo. Ele atravessou a rua, ficou conversando com a menina e deu uns “empurrão” nela. Ele me ameaçou e eu fiquei tranquilo na mesa, ele voltou para o bar e eu fui no banheiro, mas ele começou a debochar demais e quando ele olhou pra mim eu peguei a faca e tentei dar a primeira, mas não acertei. Ele saiu correndo, tropeçou, caiu e eu fui dar a facada nele. Dei, que eu lembro, dez facadas”, afirmou.


O autor ainda conclui dizendo que agora quer pagar pelo que fez. “Vou pagar né.Eu só tive passagem quando era adolescente e foi só por roubo de bicicleta “memo” e esses negócios. Arrepender do que eu fiz não me arrependo porque eu avisei e quem avisa amigo é. Ele era meu amigo, mas mexeu com “muié” de amigo a amizade fica complicada. Acho que os pais dela não vão deixar ela ficar do meu lado não. Eu nem gosto de brigar e deixo até o povo me bater, mas essa questão de “muié” e amigo… Eu não tenho nada pra falar para a família dele porque ele foi errado”, disse.



Segundo o sargento Edson Pereira, quando a polícia chegou no local o autor já havia fugido e a vítima socorrida. “Deslocamos então para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e fizemos contato com o médico plantonista, sendo constatado que a vítima havia sofrido cinco perfurações na caixa torácica, uma na perna esquerda e na outra no braço esquerdo. Naquele momento a vítima estava em estado gravíssimo e foi transferida para o Hospital João XXIII, mas 40 minutos depois, próximo à cidade de Bom Despacho entrou em óbito. Retornou-se então com o corpo e passamos a fazer o rastreamento do autor conhecido como “Pilão”. Após o intenso rastreamento conseguimos localizá-lo já na madrugada desta quarta-feira, no cruzamento da rua Rio Grande do Sul com a rua Pará. O autor é conhecido por passagens de tráfico de drogas e porte de armas, além de várias passagens. Segundo o autor, além do rapaz zombar dele, ainda passou a mão em sua namorada. O autor disse que havia dispensado a faca em um cruzamento no bairro Marília. O local é muito claro e ele nos levou até lá, mas acredita-se que alguém tenha pego ela. A vítima é de Belo Horizonte, mas até o momento não encontramos passagens policiais em seu desfavor”.

Fonte: Jornal da Cidade