Grande BH terá reforço de bases comunitárias para conter violência

Vans são equipadas com vários aparelhos e têm de cinco a seis militares, que fazem ronda na região
 
Hoje em Dia
 
Nada menos que 405 roubos são registrados diariamente em Minas. A média foi feita com base em estatísticas da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), entre janeiro e setembro deste ano. Na tentativa de intensificar o combate às ações dos bandidos, a Polícia Militar promete presença mais ostensiva nas ruas da capital e de municípios da Grande BH. A região concentra mais de 60% das ocorrências de assaltos no Estado.
Uma das medidas será a implantação de 170 bases comunitárias móveis em áreas de grande circulação de pedestres, pontos comerciais e locais que registram elevados índices de crimes. Serão 96 em Belo Horizonte – número quase quatro vezes maior que as atuais 25. Nas demais cidades da região metropolitana serão 74 novas unidades.
As vans são equipadas com computador, sistema de rádio, internet sem fio, dentre outros aparelhos, além de contar com a presença de cinco a seis militares.
O recurso de R$ 35 milhões foi adquirido por meio de financiamento do governo de Minas junto ao Banco Mundial. O processo de licitação para a aquisição dos carros está aberto e a expectativa é a de que as bases sejam montadas no primeiro semestre de 2017.

O reforço na segurança foi anunciado pelo comandante-geral da PM, coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, em entrevista ao Hoje em Dia. “Vamos aumentar a presença da polícia sem comprometer o patrulhamento e policiamento rotineiros nessas regiões”, disse.
Medida positiva
Especialista em segurança pública e coordenador do Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas, Robson Sávio vê como bons olhos a medida. Segundo ele, as bases comunitárias servem como forma de prevenção à criminalidade. 
“Gera uma confiança. Uma das prioridades da prevenção é a polícia estar presente nas ruas. Outro ponto importante é a possibilidade de a população colaborar com a polícia, como nas denúncias de crimes. A comunidade se torna mais colaborativa com a polícia e isso facilita o trabalho”, avalia.
Modernização
O sistema de rádio da PM também passará por mudanças. De acordo com o comandante-geral da corporação, o atual mecanismo analógico será substituído pelo digital. Na prática, a alteração oferece mais segurança na transmissão de dados. Nesta primeira fase, o novo sistema será implantado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 
A ideia, de acordo com o comandante, é de que o serviço seja expandido para o interior de Minas ainda no ano que vem. O sistema digital será integrado e estará presente nas demais forças de segurança do Estado, como a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros. Os dados serão criptografados, o que diminuirá a possibilidade de acesso às informações por terceiros.
Intercâmbio
Além dos investimentos, a Polícia Militar aposta em intercâmbio para aprimorar o policiamento. Uma parceria com setores de segurança de países da Europa foi firmada. “Teremos acesso às novas tecnologias de emprego operacional e que já são aplicadas. Isso irá possibilitar um compartilhamento de metodologias e tecnologias de emprego operacional”, explicou Bianchini.