O Atlético voltou a fazer uma atuação questionável, principalmente no setor defensivo. Mas saiu do Beira-Rio com um resultado espetacular. No jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, os alvinegros derrotaram o Internacional por 2 a 1, com direito a Victor salvando o time e Lucas Pratto fazendo uma das melhores partidas do ano. O argentino serviu Otero no primeiro gol, fez um mal anulado e deu a vitória para o Galo nos minutos finais. William, de pênalti, descontou para o Colorado.
O Internacional, com um time poupado visando a luta para não ser rebaixado, pressionou o Atlético, abusando dos cruzamentos e vencendo quase todas as batalhas aéreas. Mas levou um gol logo aos três minutos de jogo e não suportou o contra-ataque alvinegro. 
Com uma formação teoricamente mais cautelosa, o técnico Marcelo Oliveira armou o Atlético num trio de volantes. Na prática, porém, apenas Rafael Carioca e Leandro Donizete se posicionavam como protetores da zaga. O terceiro elemento era Junior Urso, deslocado para a direita, na proteção de Carlos César.
Tal composição tática já havia sido utilizada diante do Juventude, em Caxias. O resultado imediato, porém, foi o inverso. Se no Alfredo Jaconi o Galo levou o gol do Papo com menos de um minuto de jogo, conseguiu abrir o placar rapidamente no Beira Rio.
Graças à explosão de Lucas Pratto (o capitão da noite), a bola chegou com perigo na área do Inter duas vezes. O argentino, ao aproveitar o rebote do seu primeiro cruzamento, conseguiu servir com sucesso o venezuelano Otero. De canhota, o camisa 80 chutou forte e abriu o placar.
Pratto estava realmente inspirado no primeiro tempo. Em menos de 15 minutos, já havia produzido duas jogadas perigosas. Entretanto, não foi acompanhado pelo mesmo brilhantismo por Robinho.
Enquanto o Galo tentava achar o segundo gol no contra-ataque, o Internacional cresceu  na partida explorando as laterais da defesa alvinegra. Carlos César sofreu e permitiu cruzamentos perigosos dos colorados. Em dois deles, primeiro com Aylon e depois com o improvisado William no meio de campo, o goleiro Victor só conseguiu fazer o "golpe de vista" para evitar o empate gaúcho.
O sufoco se repetiria no segundo tempo. O Internacional parou duas vezes em defesas do goleiro Victor. O empate era questão de tempo para o Colorado. William, em partida exuberante, conseguiria a igualdade em pênalti cobrado no canto do camisa 1 alvinegro. O lance que determinou a penalidade foi um vacilo de Fabio Santos, que quis ajeitar demais a bola na área e acabou acertando Anderson quando o meio lhe roubou a posse de bola. 
O Inter, ao empatar o jogo, acabou caindo de qualidade na partida. Marcelo Oliveira aumentou a velocidade ao acionar Luan e Cazares. No lado direito, o primeiro acionou Carlos César, que disputou a bola com Eduardo Sasha e serviu Lucas Pratto. O atacante jogou para o fundo das redes em chute seco. Mas o bandeira anulou o gol, assinalando falta do lateral-direito em Sasha, para revolta dos jogadores do Galo.
O Atlético ficou melhor na partida depois de sofrer o empate. Passou a diminuir as aberturas na zaga e foi jogar no erro da defesa do Internacional. O bandeira bem que tentou impedir o gol de Lucas Pratto, mas não teve jeito no fim da partida. Cazares dominou uma bola tirada da zaga com maestria, carregou no tempo certo para servir Luan. Sem ser fominha, o velocista serviu Pratto do outro lado, deixando o gol escancarado para o camisa 9. O "Urso" não perdoou e deixou o Galo com um pé na final da Copa do Brasil. As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, no Independência.

FICHA DO JOGO
Internacional 1x2 Atlético
Internacional: Danilo Fernandes; Fabinho (Valdívia), Paulão, Alan Costa e Geferson; William, Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique e Anderson (Vitinho); Alex (Eduardo Sasha) e Aylon. Técnico: Celso Roth
Atlético: Victor; Carlos César, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca (Lucas Cândido), Junior Urso e Leandro Donizete; Romulo Otero (Luan), Robinho (Cazares) e Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Romulo Otero, aos 3 minutos do primeiro tempo; William, aos 25 minutos do segundo tempo e Lucas Pratto, aos 44 minutos do segundo tempo Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (PE), auxiliado por Rodrigo Henrique Correa (RJ) e Bruno Boschilia (PR) Cartões amarelos: Leandro Donizete e Rafael Carioca (CAM); Paulão (INT) Cartão vermelho: Não houve Público: 27.233 pagantes Renda: R$ 394.340,00