'Acabou a coxinha, acabou a mortadela. O papo agora é quibe!'

Nos braços do povo, Kalil comemora a vitória nas urnas em frente ao comitê de campanha
 
Hoje em Dia
 
Alexandre Kalil, do PHS, novo prefeito eleito de Belo Horizonte, quer governar com uma ampla aliança de partidos e lideranças políticas, excluindo o senador Aécio Neves (PSDB). Kalil quer somar forças, porém, faz questão de deixar uma marca particular.
“Acabou a coxinha, acabou a mortadela. O papo agora é quibe!”, disse tão logo foi eleito. Ele fazia referência à disputa entre PT e PSDB que dominou a política nacional durante o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O quibe é uma lembrança à origem turca do candidato vitorioso.
O ex-presidente do Atlético inaugurou o que chama de “toque de Alexandre Kalil”. Ele abusa do humor e do jogo de palavras. Kalil dirigiu o Galo entre 2008 e 2014, ocasião em que levou para casa a taça Libertadores.

Dado a polêmicas, Kalil alfinetou o senador Aécio Neves (PSDB), que saiu derrotado com João Leite (PSDB).
“Vou conversar com o PSB do prefeito (Marcio Lacerda), com o PT do governador (Fernando Pimentel), com o PSDB, vou tentar conversar com o Geraldo Alckmin”, afirmou.
Interrompido por um repórter que perguntou “e Aécio?”, ele respondeu “não”. E continuou: “com expoentes de todos os partidos, como o presidente Michel Temer”.
Questionado novamente, o prefeito eleito diz que Aécio é adversário e fez propaganda contra ele na TV. “Opositor não é inimigo. Não sou inimigo de ninguém, mas tenho direito de escolher com quem vou sentar”, afirmou. Alckmin disputa internamente com Aécio a possibilidade de ser o candidato da legenda ao Planalto em 2018.
Com os olhos marejados, Kalil disse que “chorou no quarto, sozinho com a mulher” por causa das acusações durante a campanha.
As urnas deram ontem vitória a Kalil com 52,98% (628 mil) dos votos válidos. Já o adversário obteve 47,02% (557 mil).

Popular
“Nós vamos devolver esta cidade para quem é dono dela. Não são aqueles engravatados, são vocês e provaram isso derrotando as forças políticas desta cidade e deste Estado”, afirmou.

A comemoração foi no comitê de campanha, na Savassi. “Esta vitória é de vocês. Vocês disseram que não adianta denegrir a vida dos outros, não adianta jogar os outros na lama. Eles convivem com a lama, eles vivem na lama”, esbravejou.
Kalil chegou ao segundo turno com apenas 20 segundos na TV e o bordão “chega de políticos!”
O novo prefeito informou que deve descansar nesta semana e se dedicará, posteriormente, à composição da base na Câmara e à formação do secretariado.