Suspeito de matar namorado da ex-mulher em BH é tido com foragido da polícia

A Polícia Civil de Minas Gerais solicitou à Justiça a prisão temporária do empresário Antônio Azevedo dos Santos, 47 anos, suspeito de invadir o apartamento e assassinar o namorado da ex-mulher, Guilherme Elias Veisac, de 32. O jovem foi morto com um tiro no tórax, na madrugada do dia 18 deste mês, no bairro Jardim Atlântico, região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Coletiva de imprensa



Imagens de câmera de segurança mostram a movimentação de Antônio na parte externa do prédio em que mora a ex-mulher. A vítima estava separada de Antônio desde janeiro deste ano, sendo que há três meses teria iniciado um namoro com Guilherme.

Quando casado, Antônio exercia a função de síndico do condomínio onde ocorreu o homicídio. “O suspeito tinha acesso às câmeras de segurança do prédio, recebendo as imagens pelo celular, e se aproveitou disso para monitorar toda a rotina da ex-mulher”, explicou a delegada Fabíola Oliveira.

                                                                                                                                                                                                           Divulgação PCMG

Antônio Azevedo dos Santos - foragido


“Antônio é um empresário de classe média alta, por isso temos o receio de que ele fuja do estado ou até mesmo do país. Já encaminhamos ofício à Polícia Federal solicitando apoio a fim de impedir essa fuga”, ressaltou Fabíola.

Qualquer informação que ajude a polícia a localizar o foragido pode ser comunicada pelo telefone 197 ou pelo Disque-Denúncia 181, de forma anônima.

Dinâmica dos fatos


No dia do crime, Antônio estava a caminho de Nova Serrana quando viu, por meio de imagens de câmeras de segurança, a ex-mulher chegando ao prédio com o namorado. Inconformado com a situação, o suspeito retornou a Belo Horizonte a fim de cometer o crime.

Por volta de quatro horas da madrugada, Antônio chegou ao prédio, desligou as câmeras de segurança e cortou a tela de proteção da área privativa que dá acesso ao apartamento da ex-mulher. Conforme apurado, as vítimas estavam dormindo quando foram surpreendidas por Antônio, que disparou contra o peito de Guilherme. Antes de ir embora, o suspeito ameaçou a ex-mulher dizendo que isso aconteceria com todos os homens com quem ela se relacionasse e que ele não a mataria, por enquanto. Ele ainda levou os celulares e o telefone fixo da casa com o intuito de dificultar o contato da mulher com a polícia.

Na fuga, o investigado acabou esquecendo no prédio as chaves do carro e a sacola com as ferramentas utilizadas para invadir o apartamento. A Polícia ainda não sabe como Antônio realizou a fuga, mas suspeita de que ele possa ter acionado um táxi ou Uber.