O homem apontado pela Polícia Federal (PF) como o principal suspeito de matar e ocultar os corpos de três brasileiras, sendo duas mineiras, em Portugal foi preso nesta segunda-feira (5) em Belo Horizonte. Dinai Alves foi detido após a Justiça Federal da capital mineira expedir mandados de prisão temporária, de condução coercitiva e de busca e apreensão.
Ele era namorado de Michele Santana Ferreira, de 28 anos, que teve os restos mortais encontrados no poço de um hotel para animais próximo ao aeroporto em Tires, um distrito de Lisboa. O local, segundo as autoridades portuguesas, fica muito próximo da residência e local onde Dinai trabalhava. Além de Michele, que estava grávida, a irmã dela, Lidiana Neves Santana, de 16, e a capixaba Thayane Milla Mendes Dias, de 21, também foram executadas.
A PF em BH acompanhava o caso e começou a investigá-lo no último dia 26, quando recebeu comunicado da Polícia Portuguesa sobre a localização dos cadáveres e o possível paradeiro do suspeito. Dinai teria retornado à capital mineira logo após o tripo assassinato.
O homem será encaminhado para a Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde permanecerá à disposição da Justiça. Se condenado a pena máxima pelo triplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver, ele pode ficar até 99 anos atrás das grades.

Motivação
A motivação do crime ainda é apurada e não foi revelada pelas autoridades brasileiras e portuguesas. Contudo, jornais de Portugal relatam que Dinai seria extremamente conservador e não aceitava o relacionamento amoroso entre Lidiana e Thayane. Por isso, uma das hipóteses é investigada é de crime de homofobia.
Desaparecimento
Desde fevereiro de 2016, Michele Santana e Lidiana Neves não conversavam com a família no Brasil. A comunicação, então, passou a ser feita por intermédio de Dinai Alves, namorado de Michele. As irmãs são naturais de Campanário, no Vale do Mucuri, Minas Gerais. O desaparecimento delas e da amiga Thayane repercurtiu em todo o país com as declarações e apelos da mãe das irmãs, Solange. Em maio ela denunciou o desaparecimento em redes sociais e pediu ajuda para encontrar as filhas.